Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

O governador Renan Filho afirmou, nesta sexta-feira (16), que o Estado já tem um plano pronto para a retomada das aulas presenciais do público adulto em faculdades, cursos profissionalizantes e preparatórios para concursos e pré-vestibulares. O chefe do Executivo estadual aguarda apenas a consolidação dos números desta semana epidemiológica, que apontam para a manutenção da estabilização da Covid-19 em Alagoas, para anunciar os próximos passos dentro do Plano de Distanciamento Social Controlado.

“O estado está estabilizado há muitos dias, mas nós vamos aguardar mais essa semana para dar mais um passo, sobretudo avançando na questão da educação. Se nesta semana tivermos os resultados semelhantes da semana anterior, anunciaremos a retomada das aulas para adultos”, afirmou Renan Filho, em entrevista coletiva que precedeu a posse dos aprovados no concurso da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). A solenidade foi realizada no Salão Aqualtune do Palácio República dos Palmares.

Desde o dia 30 de setembro todos os municípios alagoanos, inclusive a capital, se encontram na Fase Azul do Mapa de Classificação de Riscos do Plano de Distanciamento Social Controlado. A mudança decorreu da evolução positiva dos números relacionados à Covid-19.

A Fase Azul permite que bares, restaurantes, templos, igrejas e instituições religiosas em geral aumentem seu público para 75%. Já as academias, clubes e centros de ginástica continuam operando com 50% da capacidade. O retorno das aulas presenciais no sistema educacional, entretanto, ainda não foi autorizado como medida de segurança para evitar a propagação do novo coronavírus.

Ainda segundo o governador, a retomada das aulas ao público adulto vai servir de termômetro para a normalização dos demais segmentos da educação em Alagoas.

“Vamos dizer que os adultos voltem e não tenhamos problemas, então avaliaremos os próximos passos; se tivermos problemas, isso vai demonstrar que foi correto não ter iniciado as aulas com as crianças, porque elas, especialmente as menores, têm mais dificuldades de cumprir as medidas de proteção individual que são necessárias. Por isso estamos fazendo essa diferenciação”, explicou Renan Filho.

Durante a pandemia da Covid-19 alguns profissionais atuaram arduamente para combater a doença, dentre eles os médicos que tiveram que travar uma guerra contra um inimigo invisível e o qual não se conhecia. Médicos experientes, recém-formados e de todas as especialidades, focaram em um único objetivo: salvar vidas. Neste domingo (18), é comemorado o Dia do Médico, data originada do padroeiro da profissão, São Lucas, que além de ser apóstolo de Jesus, era médico.

Médicos que atuam no Hospital Metropolitano de Alagoas, atendendo pacientes com a Covid-19, relataram os momentos desafiadores durante a pandemia que parou o mundo. Entre eles está a médica Marília Salvá, que descreveu as horas de emoção que marcaram sua trajetória nessa luta contra o novo coronavírus.

“Tive que abrir mão da minha família pela medicina. Saí de casa para proteger meu pai, que é do grupo de risco e, passei a me dedicar exclusivamente aos paciente acometidos pela pandemia”, salientou Marília Salvá, ao enfatizar que, “entre os momentos marcantes, podem ser destacados àqueles em que os profissionais da medicina conseguiram recuperar pacientes que ficaram por longos períodos entubados e, depois de muito esforço, voltaram a falar e sentar, podendo retornar para suas famílias”.

Marília Salvá finalizou falando sobre o que espera do pós-pandemia. “Torço para que alguns comportamentos fiquem consolidados, como o hábito de lavar as mãos, higienizar os produtos comprados em lojas e supermercados. Mas, principalmente, espero que as pessoas incorporem a necessidade de se protegerem para resguardar a vida de outras pessoas”, enfatizou.

Já a médica Karina Chaves disse que o início da pandemia da Covid-19 foi assustador. “Trabalhar atendendo pacientes de uma doença desconhecida gerava muita apreensão e medo. Todos trabalhavam sob pressão, causando desgaste físico e mental por ser algo novo e desconhecido”, salientou.

Para ela, o que mais marcou este período foram às homenagens aos profissionais da saúde. “Foi gratificante ver que as pessoas estavam reconhecendo e homenageando o nosso trabalho, todo apoio foi bastante motivador”.


Marcos Ramalho, médico que atua na direção do Hospital Metropolitano de Alagoas e exerce o cargo de secretário executivo de ações em saúde, lembrou um momento marcante vivenciado por ele. “Nas primeiras semanas estávamos muito aflitos pela grande demanda de procura de leitos e fiquei muito preocupado. Achei que não ia conseguir, mas, inauguramos o Metropolitano e conseguimos garantir que todo mundo que precisasse de leitos fosse atendido”, enfatizou.

Alagoas completa quase nove meses de pandemia e, entre as fases vermelha e azul, boa parte do progresso do Estado junto à média nacional para entrar em estabilidade de números se deveu também à dedicação da tecnologia pública estadual, que não mediu esforços e aumentou a capacidade e a qualidade de serviços digitais ofertados.

Sendo assim, o Instituto de Tecnologia em Informática e Informação (Itec) realizou uma análise sobre os ganhos do trabalho realizado até agora nesse período caótico, no qual, paradoxalmente, houve um aumento significativo de disponibilização de serviços virtuais.

“Todo esse avanço custou ao estado de Alagoas zero reais em investimento. São oito meses onde o uso de serviços digitais quintuplicou, logicamente que exigindo mais recursos e melhorias no nível de qualidade. A tecnologia trouxe segurança para todos os cidadãos, que passaram a ter suas necessidades atendidas num tempo menor e melhor digitalmente” disse Luciano Júnior, presidente do Itec.

Como isso ocorreu?

Para atender ao decreto de quarentena, todos os funcionários públicos foram mantidos em suas residências, em teletrabalho. O Estado de Alagoas possuía a capacidade de gerar 4000 VPN’s (conexões seguras), mas necessitava de ao menos 20 mil, visando comportar a maior parte de seus colaboradores. Para adequar-se a esta nova realidade, contou com a ajuda de empresas locais, nacionais e internacionais que emprestaram equipamentos e serviços de conectividade, podendo disponibilizar até 100.000 VPN’s, que corresponderia a igual número de pessoas trabalhando de suas residências.

Maior rapidez e estabilidade

Em conexão com o mundo, Alagoas possuía link de 2 GB de uma operadora e passou para 14 GB, fornecido por duas operadoras distintas, garantindo assim maior velocidade e duplicidade de saída mundial.

Modernidade

Mesmo no período da pandemia, as estruturas físicas do Itec estão sendo modernizadas. Todo prédio vem sendo reformado e ampliado. Instalações modernas, devidamente planejadas, visando segurança - com portas blindadas para o data center -, praticidade e, principalmente, aumentando a disponibilidade de energia e conectividade. De um projeto original feito anos atrás que custaria em torno de 18 milhões de reais, conseguiu-se, com a dedicação e a criatividade de arquitetos e engenheiros, em um novo projeto, reduzir os custos para aproximadamente um milhão e duzentos mil reais.

Ainda no tocante à infraestrutura, pela primeira vez o Estado está tendo à disposição dois geradores que possibilitam e garantem que toda parte digital funcionem, mesmo se houver interrupção por parte da concessionária de energia. Ambos interligados a uma nova subestação de energia recém montada.

“Outra das nossas mais recentes conquistas foi a mudança da subestação elétrica do Itec, que já operava há 43 anos e foi substituída por uma nova. O novo prédio estará sendo equipado com nova rede elétrica para atender à demanda técnica e administrativa. Na Central de Serviços, dobramos a nossa capacidade de atendimento ao público. Comparando ao mesmo período do ano passado, nós saímos de 8 mil ligações/mês para 28 mil ligações/mês, implantamos inteligência artificial nos nossos atendimentos, agora o cidadão fica sabendo o tempo de espera, quantas pessoas tem na sua frente, os horários e também disponibilizamos a possibilidade do autoatendimento” explicou Álvaro Oliveira, gerente de operações (Gero).

Primeiro Lugar

Nos gastos com a Covid-19, Alagoas está em primeiro lugar no ranking da ONG Transparência Internacional Brasil. Com trabalho muito bem coordenado pela Controladoria-Geral do Estado (CGE), onde o Itec, por intermédio da equipe da Gerência de Desenvolvimento (Gerd), juntamente com a Gero, dedicou-se por vários dias para que fossem elaborados os melhores sistemas e portal, que ganharam o prêmio internacional.

Tudo Digital

Graças ao uso do Sistema de Eletrônico de Informações (SEI), Alagoas não parou. O Sistema implantado e mantido há dois anos pelo Itec, de coordenação da Secretaria de Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), não permitiu que o cidadão alagoano sentisse os impactos da pandemia na descontinuidade dos serviços públicos. Nosso Estado é um dos primeiros do Nordeste e do Brasil a possuir todos os seus processos digitais, no SEI.

A Chave do Sucesso

Todos esses ganhos não ocorreram por acaso. Tudo é resultado, primeiramente, dos processos de qualidade, inclusive com a implantação da ISO 9001, que já vem sendo trabalhado pela equipe do Itec com o apoio da equipe Seplag há um ano, juntamente com a racionalização/priorização dos investimentos e, principalmente, o apoio de parceiros privados nacionais, internacionais e locais, que foram decisivos.

“Dentre os próximos avanços e conquistas que estão sendo preparados, está o anteprojeto do serviço de inteligência artificial, que ainda não foi lançado, mas já foi concluído e por si só já constitui um salto enorme. Com a implantação deste projeto, o Estado mais uma vez será precursor de novos serviços, totalmente geridos por plataformas de inteligência artificial, inéditas no Brasil” finalizou Luciano Júnior, diretor-presidente do Itec.

Com a quarta alta mensal seguida, Alagoas registrou o sétimo maior crescimento do país no volume de vendas no comércio varejista em agosto, quando comparado ao mês de julho, com um aumento de 8,4%. É o que revelam os dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgados na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Em todo o país, a média do volume de vendas do varejo foi de 3,4% no mês de agosto. Com isso, Alagoas apresentou um crescimento 5% maior que a média nacional. Com relação ao Nordeste, a alta é a terceira maior, ficando atrás apenas dos estados do Piauí (10,6%) e da Bahia (8,5%).

 

Ao se comparar os números de agosto de 2019 com o mesmo mês deste ano, o setor varejista também registrou alta, crescendo 5% no período.

Vendas no comércio varejista ampliado

O volume de vendas do comércio varejista ampliado – que integra também as atividades de veículos, motos, partes e peças, e de material de construção – registrou resultado bastante positivo. Em Alagoas, no mês de agosto, o aumento foi de 7,6%. Em comparação com o mesmo mês de 2019, o crescimento foi de 7,8%.

 

O governador Renan Filho se reuniu, na manhã desta quinta-feira (15), com diretores da BRK Ambiental, empresa privada de saneamento básico que venceu, no dia 30 de setembro, o leilão para a concessão regionalizada dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Região Metropolitana de Maceió. O primeiro encontro após o certame entre os representantes das esferas pública e privada serviu para, dentre outros assuntos, iniciar as discussões de como se dará o processo de transição, voltado à gestão e operacionalização dos serviços, entre a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) e a BRK.

“Os próximos passos serão a assinatura do contrato e o início da transição entre a BRK Ambiental e a Casal, que vão desenvolver um trabalho cooperativo para estabelecer o novo funcionamento do saneamento básico na Região Metropolitana. Esperamos que seja exitoso esse trabalho para que a população recolha, nos próximos anos, um grande avanço na qualidade do fornecimento de água e na coleta e tratamento do esgoto, porque isso será fundamental para o desenvolvimento do Estado e para a geração de empregos por aqui”, declarou Renan Filho.

A BRK assumirá a concessão dos serviços de água e esgoto de 13 cidades da Região Metropolitana de Maceió, que reúnem 1,5 milhão de habitantes. Após apresentar a proposta de maior outorga fixa ao Estado, com o valor de R$ 2 bilhões, a empresa assina um contrato de 35 anos e será responsável por investir R$ 2,6 bilhões em infraestrutura ao longo do período de concessão, sendo R$ 2 bilhões já nos seis primeiros anos.

Renan Filho afirmou que o Estado está vivendo um novo momento com um ciclo virtuoso de investimentos, tanto na esfera privada como pública. “Atraímos um investimento privado de grande porte. Só o compromisso de investimento mais a outorga, girando em torno de R$ 4,5 bilhões, representa de 7 a 8% do nosso PIB. Isso é algo muito significativo”, observou o governador, ao se referir aos recursos auferidos e que serão investidos em Alagoas.

A BRK Ambiental vai garantir a universalização dos serviços de água nos próximos seis anos na região coberta pelo contrato de concessão da Casal. Atualmente, 89% da população local têm acesso ao recurso. Em relação ao esgotamento sanitário, o prazo para que 90% da população atendida pela Casal tenham o serviço será de 16 anos. Hoje 27% contam com tratamento de esgoto. Outra meta do contrato é a redução do índice de perdas, que deverá passar dos atuais 59% para, no máximo, 25%.

A CEO da BRK Ambiental, Teresa Vernaglia, afirmou que os alagoanos podem esperar o compromisso integral da empresa para com o sucesso do projeto e a execução dos investimentos previstos a fim de levar água e esgotamento sanitário de qualidade até a população.

Ela também destacou a segurança jurídica e a excelência do projeto elaborado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) junto com o Governo de Alagoas para a concessão regionalizada dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Região Metropolitana de Maceió.

“Trata-se de um projeto muito bem feito, com regras claras, que foi construído ao longo de três anos. Teve o Novo Marco Regulatório do Saneamento e esse é um projeto alinhado a esse Novo Marco; tudo isso nos dá - a nós que vamos investir mais de R$ 5 bilhões entre as obras e a outorga - a segurança jurídica de que teremos o contrato respeitado. Então isso fez com que a gente entrasse nesse projeto com muita competitividade”, declarou Teresa Vernaglia.

De acordo com ela, a BRK já trabalha na montagem do plano de transição para a gestão do sistema de água e esgoto. “O próximo passo agora é a homologação do vencedor (do leilão), então esse é um processo que deve se concluir agora em outubro. Na medida em que o contrato é homologado, já se iniciam as conversas com o time de transição. A assinatura do contrato está prevista para o início do ano, em janeiro, e a BRK espera assumir a operação a partir do segundo semestre, entre junho e julho de 2021”, projetou.

O secretário da Fazenda de Alagoas, George Santoro, pontuou que o processo licitatório ainda está ocorrendo e que a Comissão de Licitação já avaliou os documentos e publicou o resultado da habilitação na última segunda-feira (12). “Ainda estamos em prazo de recurso e provavelmente na próxima semana, se tudo der certo, será homologada a licitação. A partir dessa homologação, iniciará um prazo de 60 dias para a assinatura do contrato. A reunião foi muito importante para as equipes da Casal, Seinfra e demais membros do Governo se conhecerem, para assim que homologarem a licitação iniciar o processo de transição”, concluiu o secretário.

Reunião

A reunião foi realizada no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares e contou ainda com a participação dos secretários de Estado do Gabinete Civil, Fábio Farias; da Infraestrutura, Maurício Quintella; da Fazenda, George Santoro; do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito; da secretária especial do Tesouro Estadual, Renata dos Santos; e do presidente da Casal, Clécio Falcão, dentre outros diretores da Companhia.

Pela BRK Ambiental participaram, também, o vice-presidente de Operações, Geraldo Santi Copello; a vice-presidente de Assuntos Corporativos e Regulação, Daniela Sandoval; e Ivan Sant’Anna (Novos Negócios). O prefeito de Maceió, Rui Palmeira, acompanhou parte da reunião.