Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

Entre os dias 11 e 17 de maio 1.536 pessoas foram atendidas na Central de Triagem do Ginásio do Sesi, em Maceió. O volume de atendimento corresponde tanto aqueles que testam positivo para a Covid-19 quanto para os que apresentam sintomas parecidos.  Dos 1.240 testes rápidos realizados nesse período, apenas 235 foram positivados.

Segundo a enfermeira e coordenadora da Central de Triagem do Sesi, Maryana Costa, a grande parte do público procura por orientações e cuidados médicos, apresentando o quadro de saúde estável, sem agravamentos. Até ontem, dos 4.281 testes para o novo coronavírus, 178 pessoas tiveram o diagnóstico confirmado para a doença. 

“Poucos ainda não estão esclarecidos sobre as formas de se evitar o contágio, os sintomas e onde procurar ajuda médica. O que tem acontecido bastante é que algumas pessoas nos procuram sem apresentar os sintomas da Covid-19. Isso prejudica muito o nosso trabalho e pode prolongar o tempo de espera dos outros usuários”, comentou a coordenadora.

Curada da Covid-19, a autônoma Larissa Lima dos Santos, de 36 anos, decidiu levar seus três filhos para testagem na segunda-feira (18). Radiante, saiu comemorando o resultado negativo dos filhos, e justificou a ausência do vírus pelos cuidados adorados por ela durante a fase de incubação da doença.

“Comecei sofrer com muitas dores pelo corpo, tosse, asma e dificuldade até para caminhar. Mas achei que fosse uma virose, porque eu havia levado chuva. Em casa, após dois dias, passei a ter dificuldade de respirar e falar. Nessa altura eu já estava evitando o contato com meus filhos, usando máscara e higienizando tudo. No domingo (5) optei por vir para o centro de triagem, fiz o exame e deu positivo”, recordou Larissa.

Após receber orientações na da Central de Triagem do Sesi, Larissa cumpriu 14 dias de isolamento, desde o início dos sintomas. Livre da doença, ela acredita que agora é continuar em casa, adotando todos os hábitos de prevenção para continuar protegendo seus filhos.

Isolamento social é fundamental 

Para evitar o aumento dos contágios e a procura pelas unidades de saúde, a medida mais importante é o isolamento social. O deslocamento só deve ser feito em último caso. Se preciso, utilize máscara de proteção, higienize sempre as mãos e os objetos trazidos no retorno. De preferência, tome banho e lave os cabelos. Nunca caminhe pela casa com a mesma roupa que vestiu quando esteve nas ruas, o mesmo vale para os calçados e acessórios. Sempre que possível, higienize o celular”, recomendou a médica Maylis Dantas.

Aberta 24 horas, a Central de Triagem do Sesi oferece avaliação médica e teste rápido para a Covid-19 naqueles que apresentam os sintomas da doença há mais de sete dias. Para evitar a exposição desnecessária, não é recomendável que pessoas com sintomas gripais leves procurem as centrais. 

O deslocamento só deve ocorrer com a persistência e agravamento dos sintomas.  Nesse caso, aqueles que não possuem plano de saúde também podem buscar atendimento em uma das unidades municipais de saúde, nas próprias centrais de triagem ou em uma das UPAs.

Da inauguração, em 14 de abril, até o último domingo (17), 6.871 atendimentos foram registrados pelo centro de triagem, localizado no Trapiche da Barra.

Assim como os seus criadores, os animais domésticos precisam se adequar à nova rotina durante a pandemia de Covid-19. O Decreto Estadual Nº 69.722 veda o acesso a locais públicos, como praças e praias, e a permanência em ruas, como forma de diminuir a aglomeração e combater a proliferação do novo coronavírus. Ainda assim é possível realizar atividades dentro de casa para exercitar o físico e evitar o estresse de cães e gatos.

Ana Cecília, veterinária do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL), recomenda brinquedos simples, feitos em casa, para distrair os animais. “Até mesmo uma caixa de papelão pode ser divertida para gatos”, afirma a profissional locada no Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas).



A dica é simples: uma caixa de sapato ou maior, uma bola do tamanho de ping pong, uma tesoura e fita adesiva. Faça furos nas laterais ou topo da caixa, coloque a bola dentro e isole com a fita. O gato irá ver o objeto e colocará a pata dentro tentando tirá-lo.



Gatos arrumam sua própria diversão. Caixa vazia, bolinha de papel, cinto, cadarço, planta seca são objetos que despertam a curiosidade dos felinos. É só dispor parado ou balançar o brinquedo para chamar atenção e todo o resto é por conta da criatividade deles.



Cachorros podem ser mais complicados durante a quarentena, pois acostumam fazer suas necessidades fora de casa. É recomendado comprar um tapete higiênico, que pode ser facilmente encontrado em pet shop.



Diferente dos gatos, os cachorros pedem maior atenção na hora das brincadeiras, o que não deixa de ser divertido. Bola, corda, mordedor, bichinho de pelúcia ou borracha podem ser objetos arremessáveis e de disputa entre cão e dono. Ossos de pet shop também são recomendados para aliviar o estresse.



“É tempo de criar novas atividades para gastar energia, distrair, divertir, tanto o animal quanto o dono que também pode estar em quarentena dentro de casa”, afirma Ana Ceclíia, veterinária do IMA.



Caso o animal esteja em apartamento e possa descer ao térreo, é aconselhado que no retorno as patas sejam borrifadas em uma solução de sabão ou shampoo, assim como fazemos com nossos calçados. É importante saber que cães e gatos também podem carregar o vírus para o lar.



Em caso de estresse e ansiedade, mesmo na realização de brincadeiras, Ana Cecília recomenda gotejar florais na água dos animais. “O produto pode ser encontrado em pet shop e deve ser usado de acordo com a indicação do fabricante”, explica a veterinária.

Em decorrência da pandemia de coronavírus, o Governo de Alagoas continua a telefonar para os servidores públicos ativos do Executivo no intuito de reunir dados referentes às recomendações sanitárias e à situação de teletrabalho de cada um deles. A ligação, que é automatizada, acontece sempre em horário comercial, por meio do número 3215-4500.

Desenvolvido pela Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) e pelo Instituto de Tecnologia em Informática e Informação do Estado (Itec), o questionário da pesquisa é rápido de se responder e visa traçar um perfil das necessidades e das condições das quais os servidores dispõem para o bom andamento do teletrabalho nos órgãos e entidades da máquina pública alagoana.

“Iniciamos a pesquisa no final de abril e estamos dando continuidade, telefonando para as pastas que ainda não foram chamadas e retornando a ligação para servidores que não puderam atender em um momento anterior. O engajamento de todos é essencial para que tenhamos uma base de dados alinhada à realidade de cada um durante a pandemia”, ressalta o secretário do Planejamento e Gestão da Seplag, Fabrício Marques Santos.

A Seplag explica que, apesar de não ser obrigatório, é importante informar o CPF durante a pesquisa para que o Estado possa oferecer o suporte que identificar como necessário ao servidor em questão. Além disso, a pasta reforça que o funcionalismo deve atentar para o número chamador 3215-4500 e não repassar informações pessoais a qualquer outro.

“Estamos muito integrados com todas as secretarias para que consigamos fortalecer o modelo de teletrabalho de forma assertiva enquanto perdurar a situação de emergência provocada pelo coronavírus. As respostas dessa pesquisa vão nos auxiliar a fazer esse movimento em larga escala e com um bom panorama das especificidades dos nossos servidores”, pontua o titular da Seplag.

A implementação do teletrabalho atende aoDecreto Estadual n° 69.541 e visa resguardar não só a saúde dos servidores públicos alagoanos, mas também de toda a sociedade civil. A medida está sendo realizada por meio de Instrução Normativa publicada na edição suplementar do Diário Oficial do dia 23 de março.

A Polícia Civil de Alagoas intensificou o trabalho de fiscalização do cumprimento do Decreto Emergencial com vistas a evitar o avanço da pandemia do novo coronavírus. Equipes da Operação Policial Litorânea Integrada (OPLIT), do Tático Integrado de Grupos de Resgate Especial (Tigre) DEIC e da Asfixia estão atuando em diversos bairros de Maceió.

O objetivo do trabalho também é o de conscientizar a população para a importância de seguir as normas estabelecidas no Decreto Emergencial. Para isso, a Polícia Civil realizou, nessa segunda-feira (18), mais uma operação. Desta vez os policiais se concentraram no bairro Clima Bom e adjacências. O trabalho, que começou à tarde, se estendeu até o início da noite.

 No último sábado (16), as equipes da PC também estiveram na parte alta da capital, na área do complexo do bairro do Benedito Bentes, em Maceió.

As ações cumprem determinação do secretário de Segurança Pública, Lima Júnior, e do delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, e fiscalizam o uso obrigatório de máscaras em vias públicas por todos os cidadãos; verifica se nos pontos de ônibus está sendo evitado aglomerações e se no interior dos coletivos os passageiros estão com máscaras e sentados, de acordo com as normas definidas.

Também há fiscalização nos estabelecimentos comerciais que estão autorizados a funcionar, verificando e orientando, entre outros aspectos, quanto a capacidade de ocupação. E ainda verificam e fiscalizam o acesso às praças e alamedas (sendo proibido a prática de caminhada, dentre outras atividades físicas e aglomerações).

De acordo com o agente de Polícia Civil, Alfredo Presser, que coordenou as duas ações recentemente, as operações visam, também, incentivar as pessoas a cumprirem o decreto visando o bem comum.

Os alunos do ensino médio que solicitaram sua carteira de identidade e não conseguiram retirar o documento devido ao fechamento dos postos do Instituto de Identificação por causa do coronavírus, podem solicitar o número do seu RG.  O serviço foi uma ação desenvolvida pela superintendência do órgão para garantir aos estudantes a inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

O superintendente do Instituto de Identificação, Roney Presbítero, explicou que no ato da inscrição é solicitado ao estudante apenas o número do seu RG, sem a necessidade de anexar cópia do documento. A pessoa que já deu entrada na carteira poderá enviar um e-mail com seus dados pessoais (nome completo, filiação, data de nascimento, data do requerimento, e nº do protocolo) para o endereço eletrônico: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo." target="_blank">cartorio@institutodeidentificacao.al.gov.br, solicitando o número do Registro Geral.

O setor administrativo do Instituto de Identificação irá receber o e-mail, e, após confirmar os dados da solicitação, a equipe irá responder também eletronicamente informando o número do RG do estudante. O órgão ressalta que o serviço é exclusivo para quem já solicitou a primeira via da carteira de identidade e fez todo o processo de entrega de documentos, coletas das digitais, imagem facial e assinatura.

Seguindo o decreto estadual nº 69.529, de 18 de março de 2020, o Instituto de Identificação suspendeu o atendimento ao público, incluindo os atendimentos agendados, novas solicitações de 1º e 2º via e a entrega de carteiras de identidade. A decisão de fechamento da rede foi reforçada pelos

Decretos Governamentais nº 69.577, de 28 de março de 2020, e Decreto Nº 69.722, de 04 e maio de 2020, que tratam ações preventivas de combate à Covid-19.

“Ressalte-se que essa medida foi adotada em respeito à segurança e saúde da sociedade alagoana e com a finalidade de preservar vidas”, explicou o superintende Roney Presbítero. O Instituto permanecerá fechado até o fim dos decretos ou até quando perdurar o período de isolamento social proposto pelo Governo como medida de combate a coronavírus.

Informações sobre medidas restritivas que levariam ao fechamento de supermercados têm preocupado a população. “É verdade ou é fake news essa conversa de que vão fechar todos os supermercados a partir de quarta-feira?”, questiona uma cidadã em um áudio que foi enviado a esta editoria. Esta informação, no entanto, não procede.

A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) ressalta que supermercados são serviços essenciais, ou seja, livres para funcionar em qualquer situação. A mesma regra se aplica a padarias, distribuidoras de água e outros serviços do mesmo gênero. Um exemplo disso é que em municípios do estado do Maranhão e também na cidade de Fortaleza, assim como em todas as outras cidades que já decretaram o fechamento total (lockdown), esses serviços continuam funcionando normalmente.

No momento, está em vigor em Alagoas o Decreto Estadual 69.722, que tem o objetivo de reduzir o contágio pelo novo coronavírus. Em vigor até o dia 20 de maio, o decreto não proíbe o funcionamento de supermercados ou estabelecimentos do gênero.

A norma estadual proibiu a circulação na orla de praias, rios, lagoas e outros espaços públicos, tornou obrigatório o uso de máscaras de proteção, trouxe regulamentações para o funcionamento do transporte público e determinou mais rigor na fiscalização do cumprimento das medidas.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890. Clique aqui para enviar agora.

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital e do interior estão sobrecarregadas. Em nota emitida no final da última semana, a direção médica que responde pelas UPAs do Trapiche e do Benedito Bentes informou que o atendimento geral (na área clínica e Covid-19) pode ser temporariamente suspenso caso a ocupação máxima de leitos seja atingida.

De acordo com o comunicado, “a medida foi tomada por questão de segurança dos pacientes e para manutenção da qualidade do atendimento”. O informe ressalta ainda que “o atendimento é retomado de imediato, assim que há disponibilidade de vagas”. A nota reforça também que “as unidades de pronto atendimento existem para atender casos de urgência e emergência. Casos que não se enquadrem nesse perfil, devem ser direcionados para as unidades básicas de saúde (UBS)”.

A direção médica das unidades confirma que a suspensão, apesar de estar sendo adotada com certa periodicidade, possui caráter dinâmico – o atendimento pode estar suspenso num momento e voltar à normalidade em questão de minutos em função da recuperação, transferência ou óbito de pacientes.

“Desde a última semana, estabelecemos normas internas sobre a necessidade de restrição dos atendimentos na unidade”, explica Vitor Ramalho, diretor médico da UPA Benedito Bentes e colaborador do Instituto ISAC, que gerencia as duas unidades. “Determinamos que quando os leitos intermediários ou clínicos estiverem lotados, iremos parar os atendimentos e redirecionar a equipe para dar seguimentos aos pacientes já internos na unidade”, acrescenta.

Adaptação

Após o início da pandemia, ambas as UPAs foram adaptadas e passaram a disponibilizar 05 leitos intermediários (área vermelha) e 08 leitos clínicos (área amarela) exclusivos para pacientes com Covid-19.

Ao todo, Maceió tem 04 UPAs (Tabuleiro, Jacintinho, Benedito Bentes e Trapiche), que foram preparadas para disponibilizar um total de 51 leitos – entre clínicos e intermediários – exclusivos para pacientes com Covid-19.

Os dados do boletim de taxa de ocupação de leitos – publicados diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e disponibilizado para consulta no hotsite alagoascontraocoronavirus.com.br – confirmam que o colapso já é uma realidade em todas as UPAs, algumas com leitos clínicos e intermediários batendo a marca de 100% de ocupação.

“As UPAs são unidades de urgência e emergência, com foco em pacientes com quadros moderados a graves, recomendamos que pacientes com sintomas ou desconfortos leves procurem outras unidades de menor complexidade, como postos de saúde, centros de triagem para síndromes gripais e mini prontos-socorros”, orienta o médico. “Reforço também só procurar unidades de saúde em casos de extrema necessidade. As pessoas com condições de se manter em casa devem ficar em isolamento”.

Durante a abertura da nova central de triagem no Benedito Bentes, ocorrida na manhã desta segunda-feira, o governador Renan Filho anunciou a construção de mais três UPAs em Maceió, nos bairros do Eustáquio Gomes, Jaraguá e Chã de Jaqueira.

Colapso no interior

No interior, há Unidades de Pronto Atendimento nas cidades de Coruripe (14 leitos), Delmiro Gouveia (8 leitos), Maragogi (4 leitos), Marechal Deodoro (3 leitos), Palmeira dos Índios (4 leitos), São Miguel dos Campos (2 leitos) e Viçosa (3 leitos).

O boletim emitido na manhã desta segunda registra ocupação total de leitos nas UPAs de Viçosa e São Miguel dos Campos. Os casos de colapso mais recentes ocorreram nos municípios de Coruripe e Marechal Deodoro, onde as UPAs das cidades suspenderam o atendimento durante o fim de semana por terem atingido a superlotação.

De acordo com a Central de Regulação de Leitos da Sesau, a situação das UPAs foi normalizada, mas a taxa de ocupação continua no limite máximo.

Alagoas contará, a partir desta sexta-feira (22), com mais um equipamento público temporário para o tratamento de pacientes acometidos pelo coronavírus. O Hospital de Campanha Dr. Celso Tavares, que está sendo estruturado no Centro de Convenções, em Jaraguá, terá 150 leitos clínicos à disposição da rede pública de saúde.

Uma equipe com mais de 400 profissionais da saúde irá compor a estrutura, incluindo médicos, fisioterapeutas, biomédicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, técnicos de laboratório e enfermagem, que se revezarão em turnos, oferecendo cuidados clínicos 24 horas por dia aos pacientes internados. O nome do hospital homenageia o médico infectologista alagoano Celso Tavares, que faleceu em fevereiro deste ano.

Serão mais 150 leitos clínicos à disposição da saúde pública alagoana para recuperar o nosso cidadão. Depois desta entrega, vamos iniciar imediatamente a construção de um Hospital de Campanha em Arapiraca, idêntico ao daqui, para atender este município e outras cidades do interior”, afirma o governador Renan Filho.

Fotos: Márcio Ferreira

Para ter acesso ao hospital, o cidadão deverá, primeiramente, ter passado por uma unidade de saúde, como uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou posto de saúde, ou ainda pelas Centrais de Triagem, como explica Geonice Peixoto, assessora técnica de Atenção Primária e Ações Estratégicas da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Hospital de Campanha é um hospital de porta fechada, ou seja, atende pacientes encaminhados e não realiza o primeiro atendimento ao público. Ele vai atender pacientes já regulados por unidades de saúde que funcionam como porta de entrada de casos de Covid-19, como as UPAs e as Centrais de Triagem, e que tenham sido encaminhados para internamento clínico, conforme solicitação médica”, esclarece.

Assim como as Centrais de Triagem e a entrega antecipada do Hospital Metropolitano, o Hospital de Campanhaé um reforço no combate ao coronavírus no estado. Tudo isso é fruto de um esforço muito grande do Governo de Alagoas no enfrentamento à Covid-19, mas que não será suficiente se todos adoecerem ao mesmo tempo. Por isso a população precisa colaborar mantendo o isolamento social”, destacou o secretário da Saúde, Alexandre Ayres.