Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

 

 

Quarta, 20 Julho 2016 19:05

REINTEGRAÇÃO SOCIAL

Seris firma parceria inédita para ofertar mão de obra carcerária

Trabalho desenvolvido pelos reeducandos irá proporcionar mais celeridade, segurança e suporte nas ações desenvolvidas pela Procuradoria Geral do Município

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Seris e a Procuradoria Geral dos Municípios firmam parceria para empregar sete reeducandos dos regimes aberto e semiaberto Seris e a Procuradoria Geral dos Municípios firmam parceria para empregar sete reeducandos dos regimes aberto e semiaberto Jorge Santos
Texto de Victor Costa

Ressocializar transformando a mão de obra carcerária em serviços de qualidade para a sociedade. Esse é um dos papeis da Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris). Por meio do setor de Reintegração Social, o órgão estadual desmistifica a imagem dos custodiados, criando oportunidades de trabalho, dentro dos critérios da Lei de Execuções Penais.

 

Nesta quarta-feira (20), uma parceria pioneira foi firmada entre a Seris e a Procuradoria Geral dos Municípios (PGM) para empregar sete reeducandos dos regimes aberto e semiaberto. Os novos trabalhadores farão os serviços de limpeza, manutenção, serviços gerais e recepção. Em contrapartida, os custodiados terão a pena remida e receberão um auxílio financeiro.

 

A coordenadora setorial de administração da PGM, Jessica Carvalho, lembra que os novos trabalhadores irão proporcionar mais celebridade, segurança e suporte nas ações desenvolvidas na Procuradoria. “Teremos melhorarias na qualidade dos atendimentos, na limpeza e conservação do patrimônio público, além de economia na prestação dos serviços”.

 

O procurador-geral adjunto do município, Estácio da Silveira Lima, destaca a credibilidade da Seris e a parceria firmada. “Nossa carência de servidores será minimizada com os serviços dos custodiados. Acreditamos no projeto da Reintegração Social e estamos assumindo um grande compromisso para melhorar o atendimento e, paralelamente, mudar a vida dos apenados”.

 

Para o secretário da Ressocialização, tenente-coronel PM Marcos Sérgio de Freitas, o primeiro convênio firmado com o município representa uma quebra de paradigmas. “Hoje temos 23 parceiros e quase 400 reeducandos empregados. Estamos sempre aprimorando as ações para ampliar a oferta de vagas, melhorar o serviço público e inserir os custodiados no âmbito social”.

 

Redução nos crimes

 

Pesquisas feitas pelo setor de Reintegração Social mostram que menos de 2% dos apenados inseridos nos convênios cometem novos delitos. Número bem inferior à média nacional, com 70% de reincidência criminal. Antes de serem selecionados para as empresas conveniadas, os custodiados passam por um processo de qualificação dirigido e avaliação das competências.