Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 29 Janeiro 2016 15:39
INCENTIVO

Torneios leiteiros estimulam melhoria da qualidade e aumento do volume produzido

Primeiro evento deste tipo em 2016 acontece no povoado de Lages do Caldeirão, no município de Palmeira dos Índios.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Os torneios leiteiros servem para aproximar os pequenos produtores, profissionalizar a atividade e incentivar a produção. Os torneios leiteiros servem para aproximar os pequenos produtores, profissionalizar a atividade e incentivar a produção. (Foto: Petrônio Viana)
Texto de Petrônio Viana

O município de Palmeira dos Índios sedia até este sábado (30), o primeiro torneio leiteiro de Alagoas no ano de 2016. Iniciado na quarta-feira (27), no povoado Lages do Caldeirão, o evento conta com o apoio do Governo do Estado e comemora o aniversário de um ano de criação da Associação dos Produtores de Leite do povoado, ligado à Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA).

Na noite de quinta-feira (28), o torneio, que também é o primeiro desse tipo realizado pela agricultura familiar em Palmeira, foi prestigiado pelo secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos, pelo presidente da CPLA, Aldemar Monteiro, e pelo secretário municipal de Agricultura, Paulo Henrique Nogueira.

Na avaliação do presidente da CPLA, os torneios servem para aproximar os pequenos produtores, profissionalizar a atividade e incentivar a produção. “Eles começam a entender o que a atividade requer deles, a dedicação, o profissionalismo para gerir seu negócio de acordo com os padrões. Este é o primeiro torneio leiteiro de Palmeira dos Índios, um município emblemático, apontado pelo IBGE como um dos que mais produzem leite no Estado. E a agricultura familiar da comunidade está representada neste povoado, produzindo leite”, disse Aldemar Monteiro, ressaltando a importância do associativismo para o sucesso da atividade.

O secretário de Agricultura de Palmeira dos Índios, Paulo Henrique Nogueira, destacou o fomento à bovinocultura de leite a partir dos torneios, além da concretização dessa cadeia produtiva em escala regional. “Com o torneio, os pequenos produtores conseguem visualizar a bovinocultura de leite como uma atividade econômica muito interessante. Aqui, temos toda a cadeia produtiva. Temos o produtor, a associação que recebe o produto – que conta em seu patrimônio com um tanque de resfriamento – e a comercialização da produção por uma cooperativa. Então, a cadeia está concretizada aqui no povoado de Lages do Caldeirão. Acreditamos que este seja o embrião para o fortalecimento da atividade em nossa região”, observou Nogueira.

O secretário Álvaro Vasconcelos lembrou que, em 2015, o povoado de Lages do Caldeirão recebeu 15 embriões do Programa de Melhoramento Genético do rebanho leiteiro, desenvolvido pelo Governo do Estado por meio da Seagri, em parceria com o Sebrae.

Nos próximos dias, dois representantes da Associação dos Produtores de Leite do povoado serão capacitados pela Seagri para realizar os procedimentos de inseminação artificial em animais da comunidade.

“Quando essas bezerras estiverem participando das próximas edições do torneio, vou voltar aqui para ver de perto o resultado. Enquanto as mães estão produzindo, hoje, entre 10 e 12 litros de leite por dia, suas crias devem chegar a produzir 40 litros por dia. Com o Programa de Melhoramento Genético, melhoramos a produtividade do rebanho, aumentamos a renda dos pequenos criadores, agregamos valor à produção e fazemos com que eles possam disputar de igual para igual com os grandes”, disse o secretário, que levou para o evento dois kits de ordenha manual, que serão entregues aos dois primeiros colocados na disputa.

O presidente da CPLA também apontou os reflexos do melhoramento genético do rebanho leiteiro. “O pequeno criador jamais teria acesso a uma tecnologia dessas. Temos aqui novilhas nascidas há pouco tempo, de grande qualidade, que poderão produzir até quatro vezes mais que a mãe. Isso também estimula o produtor e melhora a vida dele no campo”, afirmou Monteiro.

Segundo Álvaro Vasconcelos, a cadeia produtiva do leite em Alagoas deverá contar ainda com o reforço, nos próximos meses, da abertura da unidade de beneficiamento da CPLA, em Batalha, que poderá processar até 160 mil litros de leite por dia, produzindo leite em pó, leite condensado, doce de leite, entre outros derivados.

“O Governo do Estado está decidido a manter o Programa do Leite, que compra 80 mil litros por dia do pequeno produtor. O programa está garantido até dezembro deste ano, mas estamos dedicados em estruturar a unidade da CPLA para que o pequeno produtor não sinta a diferença caso o Programa do Leite deixe de existir”, explicou o secretário.

Segundo ele, a unidade vai continuar comprando o leite do pequeno e passará a comercializar esse leite para os programas sociais do Governo do Estado e do Governo Federal. “O governador Renan Filho quer que a unidade da CPLA produza aqui, gere emprego e renda em Alagoas e passe também a vender para outros estados”, finalizou.