Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

 

 

×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 987

Quinta, 07 Julho 2016 16:12

VIGILÂNCIA

Procon Alagoas fiscaliza e autua supermercados na capital

Ação ocorreu em dois estabelecimentos no bairro da Jatiúca; um deles foi autuado por irregularidades

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Estabelecimento autuado deve mandar a defesa em até dez dias para o Procon Estabelecimento autuado deve mandar a defesa em até dez dias para o Procon Ascom Procon
Texto de Amanda Oliveira

A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-AL) realizou, nesta quinta-feira (7), uma fiscalização em dois supermercados da capital alagoana. A ação ocorreu após solicitação do Ministério Público Estadual. Um deles foi autuado por infração.

 

A equipe vistoriou os estabelecimentos Hiper Bompreço e Sam’s Club, localizados no bairro da Jatiúca. No primeiro local visitado foram encontrados 25 produtos impróprios para uso: fora da validade, violados, amassados ou em condições precárias de higienização. O estabelecimento foi autuado por infração.

 

“Percebemos que, mesmo dentro da validade, havia produtos resfriados que não estavam em condições adequadas de refrigeração, e tivemos que recolher. Produtos desse tipo podem acabar causando problemas sérios de saúde”, explicou a superintendente Flávia Cavalcante.

 

Dentre os produtos recolhidos/descartados, destacam-se: iogurtes, requeijões (expostos sem a tampa), lasanha congelada, queijos, peixes, creme cottage e macarrão.

 

Outra preocupação da superintendente é com a proximidade da data de validade. “Encontramos muitos produtos com validade muito próxima, como no dia seguinte. Infelizmente, não podemos retirar esses produtos das prateleiras, mas orientamos o gerente sobre o caso. Nossa fiscalização voltará aos locais nos dias seguintes para verificar se os itens já foram retirados”, destacou.

 

Os produtos vencidos e os alimentos mofados serão incinerados. O estabelecimento autuado deve mandar a defesa em até dez dias para que o setor jurídico do órgão analise e dê a sentença. Dependendo da infração cometida, a multa pode chegar a R$ 6 milhões.