Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

 

Quinta, 21 Janeiro 2016 17:15

Secretaria do Planejamento lança estudo de Indicadores Básicos de Alagoas

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Estudo oferece o atual retrato do Estado e contribui na construção de políticas públicas para uma melhor qualidade de vida para o cidadão alagoano. Estudo oferece o atual retrato do Estado e contribui na construção de políticas públicas para uma melhor qualidade de vida para o cidadão alagoano. (Foto: Divulgação)

O indicador é uma medida para organizar e captar informações. Em outras palavras, ele se presta a subsidiar as atividades de planejamento público e formulação de diferentes esferas de governo, possibilitando o monitoramento das condições de vida, da conjuntura econômica e da qualidade de vida da população.

Pensando nisso, a Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), por meio da Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (Sinc), lançou na quarta-feira (20), a segunda edição do estudo Indicadores Básicos de Alagoas.

Dividido em oito grandes temas, com dados do período de 2011 a 2014, o documento é resultado do trabalho de uma equipe multidisciplinar de servidores públicos que, durante o ano de 2015, esteve concentrada no levantamento e na consolidação dos dados.

Ao todo, 45 indicadores foram avaliados. Trinta deles tiveram variação positiva e onze, negativa. Os demais não se aplicavam ao método de variação ou mantiveram seu valor.

A área de Educação, por exemplo, foi avaliada em 14 indicadores, dos quais 11 apresentaram melhoria. Fatores como evasão escolar, distorção idade-série, taxa de aprovação e reprovação, analfabetismo e desenvolvimento da educação básica foram analisados.

Ao mesmo tempo, a área de Mercado de Trabalho e Renda obteve três indicadores com variação negativa, dos quatro pontos avaliados.

Para Thiago Ávila, superintendente de Produção da Informação e do Conhecimento, o estudo oferece à sociedade não só o mais atual retrato do Estado, mas, também, contribui na construção de políticas públicas efetivas, capazes de promover o bem-estar e uma melhor qualidade de vida para o cidadão alagoano.

“Os indicadores atuam como uma espécie de raio x, que representa, demonstra e caracteriza a realidade, fazendo o comparativo de Alagoas com a região Nordeste e o Brasil. Além disso, nos possibilita a identificação da natureza dos números, assim como seu estado e evolução. Apresenta, acima de tudo, os desafios que Alagoas precisa superar”, diz o superintendente.

O secretário do Planejamento, Christian Teixeira, acredita que o documento é um retrato ideal para os gestores públicos e, apesar das melhoras apontadas em vários indicadores, os desafios para o desenvolvimento de Alagoas ainda são grandes.

“Com os indicadores em mãos, conseguimos enxergar o Estado como um todo; suas dificuldades e necessidades, assim como qual área merece receber mais atenção para aprimoramentos e progressos. É um estudo que deverá, sem dúvida, perpassar por uma discussão e reflexão coletiva”, finaliza o gestor.

O documento apresenta um estudo das áreas de Demografia, Educação, Saúde, Infraestrutura, Defesa Social/Trânsito, Mercado de Trabalho e Renda, Desigualdade e Pobreza, Economia. O balanço completo está disponível no site Alagoas em Dados e Informações.

Julianne Leão