Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 21 Janeiro 2016 17:10

Fiscais do IMA devolvem à natureza pássaros apreendidos em Mata Grande

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Pássaros estavam em situação irregular, criadas em cativeiro sem a devida legalização e autorização do IMA. Pássaros estavam em situação irregular, criadas em cativeiro sem a devida legalização e autorização do IMA. (Foto: Elayne Pontual)

Fiscais do Instituto do Meio Ambiente  fizeram a soltura de 35 pássaros da fauna silvestre apreendidos em residências particulares do município de Mata Grande, durante operação realizada em parceria com a Gerência de Fauna, Flora e Unidades de Conservação do órgão e o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA). Iniciada na quarta-feira (20), a ação de fiscalização no Sertão alagoano prossegue até esta sexta-feira (22).

As aves apreendidas são das espécies galo-de-campina, caboquinho, extravagante, tico-tico, veludo, bem-te-vi, sanhaço e pintassilgo, ela última ameaçada de extinção. Os pássaros foram levados ao Refúgio da Vida Silvestre dos Morros do Craunã e do Padre, Unidade de Conservação localizada no município de Água Branca, e lá foram devolvidos à natureza.

Segundo Epitácio Correia, veterinário consultor ambiental do IMA e responsável pela avaliação clínica, física e comportamental dos animais capturados, os pássaros estavam em boas condições de soltura. “Eles apresentaram um comportamento de recém-capturados, podendo se readaptar facilmente à vida silvestre”, explicou.

Ainda de acordo com Epitácio, todas as aves estavam em situação irregular, criadas em cativeiro sem a devida legalização e autorização do IMA, órgão responsável pelo licenciamento ambiental para a criação amadora de pássaros silvestres.

“Nenhum morador ofereceu resistência à apreensão e fizeram a entrega voluntariamente. Os técnicos aproveitam casos como esse para explicar que a retirada desses animais da natureza causa inúmeros prejuízos para a fauna. Fizemos também um trabalho de educação ambiental com as crianças da região”, afirmou Epitácio.

Os técnicos alertam a população que a fiscalização terá continuidade e todas as denúncias recebidas serão averiguadas. Quem for flagrado mantendo pássaros ou qualquer outra espécie silvestre em cativeiro, sem autorização, será responsabilizado conforme prevê a Lei n.º 9.605 de 12 de fevereiro de 1998 (Lei de Crimes Ambientais).

Elayne Pontual