Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Domingo, 08 Maio 2016 13:03
GOVERNO PRESENTE

Reeducandos recebem atendimento psicossocial na 3ª edição do Governo Presente

Profissionais da Seris atenderam custodiados das delegacias de Matriz do Camaragibe e São Luiz do Quitunde

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Texto de Maysa Cavalcante

Os reeducandos das delegacias de São Luiz do Quitunde e Matriz do Camaragibe foram beneficiados com uma ação do setor psicossocial da Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), na 3ª edição do Governo Presente.

 

Enfermeiras, psicólogas e assistentes sociais estiveram nas unidades para detectar possíveis problemas de saúde e entregar kits de higiene pessoal aos internos, na sexta-feira (6).

 

Houve corte de cabelo, realização de testes rápidos de doenças sexualmente transmissíveis (hepatite B e C, sífilis e HIV I e II), entrega de preservativos e medicamentos para dermatites, além de aferição da pressão arterial e glicemia.

 

Os reeducandos também foram entrevistados pelas assistentes sociais, que realizaram um levantamento social dos apenados.

 

Para a gerente de Saúde da Seris, Larissa Vital, além de promover a saúde e o bem-estar dos custodiados, essa é uma ação preventiva. “O diagnóstico possibilita que os reeducandos entrem no sistema com todas as informações atualizadas. Assim, são detectados problemas de saúde e os direcionaremos para um atendimento eficaz”, afirmou a gerente.

 

“Procuramos prestar assistência psicológica aos reeducandos no momento da divulgação dos resultados dos exames e conversamos com eles sobre a questão do vínculo familiar. Os presos foram receptivos durante os atendimentos, o que demonstra a credibilidade depositada em nosso trabalho”, explicou a psicóloga Luísa Holanda.

 

O custodiado José Valdir dos Santos foi um dos atendidos durante as atividades. Ele elogiou a iniciativa da Secretaria da Ressocialização. “Estou muito satisfeito com essa ação, pois tive a oportunidade de saber se estou bem de saúde ou se tenho alguma doença. Desde que fui preso, nunca havia participado de um atendimento como esse e eu precisa disso”, declarou o custodiado.