Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

 

Sexta, 23 Abril 2021 17:23

ESCREVENDO O FUTURO

Inscrições para a Olimpíada de Língua Portuguesa são prorrogadas até 20 de maio

Cadastro deve ser feito no site e contempla estudantes do ensino fundamental e médio

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Em 2019, Alagoas teve 16 estudantes semifinalistas da Olimpíada de Língua Portuguesa Em 2019, Alagoas teve 16 estudantes semifinalistas da Olimpíada de Língua Portuguesa Valdir Rocha
Texto de Ana Paula Lins e Allana Dias (sob Supervisão), com informações da OLP

Escolas públicas e secretarias estaduais e municipais de Educação de todo o Brasil têm um novo prazo para se inscreverem na sétima edição da Olimpíada de Língua Portuguesa (OLP): agora, o cadastro pode ser efetuado até o dia 20 de maio pelo site escrevendoofuturo.org.br . A olimpíada é um concurso de produção de textos que reconhece trabalhos de professores e estudantes do 5º ao 9º ano do ensino fundamental e da 1ª à 3ª série do ensino médio.

Uma iniciativa da Fundação Itaú para Educação e Cultura (Itaú Social) com a coordenação técnica do Centro de Pesquisa em Educação Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), juntamente com o Programa Escrevendo o Futuro em parceria com o Ministério da Educação (MEC), a OLP visa contribuir para a melhoria do ensino e aprendizagem da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. O evento, além de premiar produções textuais de estudantes da rede pública, promove formações com professores. Em Alagoas, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) coordena a olimpíada nas escolas estaduais e municipais.

Categorias – A competição conta com cinco categorias de gênero textual para inscrição: poema, para estudantes do 5º ano do ensino fundamental; memórias literárias, para alunos do 6º e 7º anos; crônica, para as turmas de 8º e 9º anos; documentário, para estudantes da 1ª e 2ª série do ensino médio e artigo de opinião para os alunos da 3ª série do ensino médio. Além disso, os professores inscritos devem produzir relatos de prática onde detalham as atividades e materiais utilizados nas oficinas com seus alunos.  Este ano, a novidade é que, quando um relato for selecionado, toda a turma será premiada.

Premiações –  A OLP reconhece o trabalho tanto de estudantes e professores e as premiações vão desde certificados, assinaturas de periódicos e smartphone (este último para professores) para semifinalistas; leitores digitais para os finalistas; tablets (alunos) e notebooks (professores) para os vencedores e placas de homenagens para as secretarias de Educação e escolas.

Números – Segundo dados do site oficial do evento, Alagoas registrava, até esta sexta-feira, dia 23, 2.956 trabalhos, 1.586 professores (das redes estadual e municipal) e 776 escolas estaduais, municipais e federais inscritas no concurso. Além disso, a Seduc-AL e mais 101 secretarias municipais de Educação fizeram sua adesão à olimpíada.

Edição 2019 - Em 2019, Alagoas teve diversas medalhas na sexta edição da OLP. O estado teve 16 estudantes semifinalistas representando o estado nas etapas regionais e nacional em São Paulo.

Na etapa nacional, foram medalhistas de prata os alunos Nickolas Henrique, Matheus Walisson, Naira Danyelle e seus professores Geraldo Ribeiro, Jacira Maria e Ismaeli Galdino foram os responsáveis por trazer as medalhas de prata para o estado de Alagoas.

O estudante Nickolas Henrique Gomes da Silva e o professor Geraldo Ribeiro Bessa Neto, da Escola Ensino Fundamental Marieta Leão, de Rio Largo, garantiram a medalha de prata no gênero Poema.

Na categoria Memórias Literárias, outra prata para o aluno Matheus Walisson da Silva e a professora Jacira Maria da Silva, da Escola Municipal Doutor José Haroldo da Costa, de Maceió.

Já na categoria Artigo de Opinião, a aluna Naira Danyelle de Souza e a professora Ismaeli Galdino de Oliveira e Santos, da Escola Estadual Padre Aurélio Góis, de Junqueiro, também conquistaram prata.

O estado teve ainda medalhistas de bronze nas etapas regionais da competição: na categoria Documentário, foram premiadas as equipes de Caio César da Silva Santos, Iuri de Lima Vieira e Izabel Victória dos Santos Ferreira, do Colégio Tiradentes – Unidade Maceió; Camilly Tenório Bispo, Fernanda Vitória Belarmino da Silva e Samilly dos Anjos Alves, da Escola Estadual Belarmino Vieira Barros, de Minador do Negrão e Noemy Keyla de Oliveira Cavalcante, Lívia Tenório dos Santos Silva e Mayza Raynara Costa dos Santos, da Escola Estadual Padre Aurélio Gois, de Junqueiro.

Além disso, a professora Polyanna Paz, que leciona na Escola Estadual Alfredo Gaspar de Mendonça, de Maceió, foi premiada pelo seu Relato de Prática no gênero Memórias Literárias.