Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 15 Janeiro 2021 17:16
AJUDA

"Brasil é um só país, precisamos ser solidários", diz Renan Filho sobre leitos para o Amazonas

Governador afirma que vagas ofertadas já estão disponíveis, aguardando apenas a regulação que será feita pelo estado do Norte do país, junto ao MS

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Renan Filho disse que os leitos ofertadas ao Amazonas já estão disponíveis Renan Filho disse que os leitos ofertadas ao Amazonas já estão disponíveis Márcio Ferreira
Texto de Severino Carvalho

O governador Renan Filho garantiu, nesta sexta-feira (15), que a rede pública de saúde alagoana já está preparada para receber os pacientes acometidos pela Covid-19, procedentes do Amazonas. Ele informou que os 35 leitos – 10 de UTI e 25 clínicos – ofertados já estão disponíveis, aguardando apenas a regulação que será feita pela Secretaria de Saúde daquele Estado, juntamente com o Ministério da Saúde.

“Estamos, neste momento, agindo com espírito colaborativo e solidário, como é o povo alagoano, aguardando as decisões do Estado do Amazonas para receber os pacientes aqui e ajudar a salvar vidas, afinal de contas o Brasil é um só país, nós somos um só povo e precisamos ser solidários”, afirmou Renan Filho.

Na quinta-feira (14), ele recebeu uma ligação do governador do Amazonas, Wilson Lima, solicitando a disponibilização de leitos para a transferência a Alagoas de amazonenses acometidos pela Covid-19. O estado da região Norte do país sofre com o colapso na rede de atendimento, em decorrência do aumento do número de casos e de mortes provocadas pela segunda onda do novo coronavírus. Faltam leitos e até insumos como oxigênio.  

“Eu fiz contato direto com o governador Wilson Lima, me coloquei à disposição depois de receber o pedido. Nós esperamos que a regulação de leitos do Amazonas, com o governo federal, inicie a transferência desses pacientes nas próximas horas”, disse Renan Filho.

De acordo com o governador, os leitos foram disponibilizados nos hospitais Metropolitano e da Mulher, transformados pelo Estado de Alagoas em centros especializados para o tratamento da Covid-19.

“Se a gente não tivesse condição de atender, nós não estaríamos trazendo pessoas para serem atendidas aqui. Temos, inclusive, condições de ampliar mais leitos, mas é muito importante dizer ao cidadão que o que estamos fazendo nesse momento é um ato de solidariedade, de generosidade. O que está acontecendo hoje no Amazonas, poderia acontecer em outros lugares do Brasil e nós precisamos ser solidários e ajudar a quem está precisando de ajuda. Essa é a marca também do povo de Alagoas”, observou.

Alagoas registrava, até a tarde desta sexta-feira (15), ocupação de 46% dos leitos totais e exclusivos para Covid-19 na rede pública estadual.

“Tivemos um crescimento da ocupação após o final do ano, mas mantivemos essa taxa sempre abaixo de 50%. E estamos dialogando com a população. O que está acontecendo no Brasil e no mundo é o enfrentamento à maior pandemia do século. As pessoas precisam colaborar com as medidas de higiene pessoal, de distanciamento social e utilizar máscara toda vez que sair de casa. Somente assim o cidadão se previne. Até porque estamos bem próximos da vacinação. Assim, é fundamental que as pessoas não adoeçam para que sejam imunizadas antes de terem contato direto com o vírus”, argumentou.