Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

 

 

Quinta, 22 Outubro 2020 13:28

OPORTUNIDADE

Projeto de fruticultura irrigada no Sertão de AL vai gerar cerca de 900 empregos diretos

Iniciativa piloto do Governo do Estado será realizada em São José da Tapera, na região do Canal do Sertão, com foco no incremento de renda da comunidade local

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Iniciativa piloto do Governo do Estado será realizada em São José da Tapera, na região do Canal do Sertão Iniciativa piloto do Governo do Estado será realizada em São José da Tapera, na região do Canal do Sertão Jonathan Lins
Texto de Rafaela Pimentel

A criação de novos postos de trabalho e garantia de ampla oportunidade para os alagoanos é o objetivo prioritário. Atualmente em fase de licitação, o projeto piloto de Desenvolvimento da Fruticultura Irrigada - projeto Gavião - será pioneiro no Estado na ocupação ordenada do novo perímetro de irrigação do Canal do Sertão, na região do Semiárido, com a previsão de gerar de cerca de 900 vagas de emprego direto para a população local, por meio do incremento da atividade de fruticultura irrigada.

Essencialmente voltadas para práticas de desenvolvimento social, as ações serão realizadas com recursos de R$ 12,8 milhões oriundos do Fundo de Erradicação de Combate à Pobreza (Fecoep). Não por acaso, São José da Tapera foi o município escolhido como modelo para iniciativa, já que uma parcela majoritária de 61% da sua população é caracterizada como rural, contabilizando 12.700 Unidades Familiares de Produção Agrária (UFPA) da agricultura familiar com grande potencial para a produção de frutas.

Por outro lado, o forte caráter empresarial também será responsável pela condução do projeto, que foi apresentado aos membros do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Conedes), na última terça-feira (20), pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo e coordenador da ação, Rafael Brito. Isso porque, a proposta é que os 17 lotes disponíveis sejam pleiteados por empresários do agronegócio com atuação na área de fruticultura, em especial manga, maracujá, uva, melão, goiaba, abacaxi, mamão, banana e acerola.

“A premissa do projeto é assegurar que as áreas de desenvolvimento econômico e social trabalhem de forma integrada, para garantir que os investimentos na economia e melhorias na qualidade de vida de toda a população andem sempre juntos. Com a eficácia do projeto piloto, a ideia é que consigamos levá-lo para outros municípios que também são margeados pelo Canal do Sertão e, assim, gerar novas oportunidades para a população, na medida em que potencializamos a atividade de fruticultura”, enfatiza o secretário Rafael Brito, que, ao lado das pastas de Infraestrutura e Agricultura, forma o time à frente da iniciativa.

Como vai funcionar

Na prática, cada um dos lotes aptos no projeto receberá um volume de água predeterminado para o pleno desenvolvimento da atividade de fruticultura e a partir de então os empreendedores rurais irão fazer a gestão da área para estabelecer um modelo econômico competitivo e de alta produtividade. A participação dos empresários do agronegócio terá como base a sua capacidade de investimento, a cultura do negócio e, sobretudo, a possibilidade de geração de emprego através de mão de obra local.