Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 30 Junho 2020 19:27
RETORNO GRADUAL

Maceió entra na fase laranja nesta sexta (03) com abertura de novos setores da economia

Segunda fase do plano de Distanciamento Social Controlado será apenas na capital; interior do Estado seguirá com medidas de isolamento social

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Governador Renan Filho destacou, durante coletiva, que critérios para mudança de fases seguem matriz com indicadores da Saúde Governador Renan Filho destacou, durante coletiva, que critérios para mudança de fases seguem matriz com indicadores da Saúde Marcio Ferreira
Texto de Manuela Mattos e Rafaela Pimentel

O Governo de Alagoas iniciará, nesta sexta-feira (03), o retorno gradual de atividades econômicas não essenciais com o avanço para a segunda fase do Distanciamento Social Controlado em Maceió, saindo da Fase Vermelha (atual) para a Laranja. A decisão foi baseada na avaliação dos dados das últimas cinco semanas epidemiológicas, coletados a partir da análise dos três eixos estratégicos que compõem a Matriz de Risco: utilização da capacidade hospitalar instalada, evolução epidemiológica e taxa de evolução da Covid-19. Os demais municípios do interior do estado seguem em isolamento social (Fase Vermelha).

Durante coletiva on-line realizada nesta terça-feira (30), o governador Renan Filho pontuou que a capital apresentou consolidação de queda nas últimas cinco semanas e, por isso, a possibilidade de avanço para a fase laranja de Distanciamento Social Controlado, enquanto o interior do estado continuará em isolamento social, com prorrogação do decreto por mais 15 dias.  

Há claramente uma evolução na capital. A queda consolidada dos números da Covid-19 em Maceió demonstra que estamos controlando a pandemia, reduzindo o número de casos ativos, fortalecendo a capacidade de atender as pessoas. Por isso, o estado tomou a decisão de fazer a capital, Maceió, avançar da fase vermelha para fase laranja. Já no interior, a gente não tem essa redução com tanta clareza, por isso estamos mantendo o interior do estado na fase vermelha, para dar mais tempo para se consolidar uma tendência de queda nos próximos dias. Vamos continuar com a ampliação de leitos no interior do estado, além de intensificar a fiscalização nos municípios, sobretudo em Arapiraca e nas cidades com maior números de habitantes”, disse.

“Nesta sexta-feira daremos início à transição em Maceió para tentar restabelecer algumas atividades não essenciais que estavam fechadas. Esse é um passo importante agora e precisaremos, mais uma vez, da colaboração de todos”, destacou.

Com a publicação do novo decreto, fica autorizada a reabertura de lojas de ruas com até 400m² (exceto shopping centers, galerias e centros comerciais); salões de beleza e barbearias com capacidade de atendimento reduzida em 50%; além de templos, igrejas e demais instituições religiosas com funcionamento reduzido em 30% de sua capacidade. Os setores econômicos que já estavam abertos na Fase Vermelha seguem com as atividades permitidas.

O retorno gradual dos segmentos em Alagoas deverá acontecer de forma indissociável ao cumprimento das regrais gerais e específicas para cada área estabelecidas pelo Protocolo Sanitário do Governo do Estado. O documento, publicado em Diário Oficial no dia 15 de junho, prevê medidas a serem adotadas pelos estabelecimentos, segundo recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização Internacional do Trabalho (OTI) e evidências científicas do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC).

“Esse, sem dúvidas, foi o protocolo mais equilibrado do Nordeste. O Governo de Alagoas tem sido muito assertivo, permitindo pouca queda na atividade econômica, manutenção de empregos e, primordialmente, garantindo que o sistema público de saúde não entre em colapso. Precisamos agora do apoio dos empresários, do trabalhador e da população em geral para que incorpore no seu cotidiano os hábitos sanitários, de cuidados com a saúde e distanciamento social, para que possamos passar para as próximas fases com cautela e segurança”, salienta o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito.

O avanço para as fases seguintes – Amarela, Azul e Verde – dependerá diretamente da evolução ou involução dos três eixos estratégicos da Matriz de Risco, ou seja, do comportamento da população e do setor produtivo que deverá seguir as medidas exigidas pelo Protocolo Sanitário, lembra o secretário de Saúde Alexandre Ayres.

“Os próximos passos a serem tomados pelo governo precisam, mais uma vez, da participação da sociedade. Nossa responsabilidade enquanto cidadão vai aumentar ainda mais. Continuaremos que manter o distanciamento social, fazer o uso da máscara e evitar aglomerações. Só poderemos avançar para as próximas fases, se a gente tiver a consciência de que ainda não vencemos a pandemia. Ainda estamos vivendo um momento de atenção e de muita preocupação”, enfatizou.

Renan Filho afirma que o estado tomou a decisão mais prudente para o momento ressaltou ainda o papel do setor produtivo nesse momento de transição de fases na capital. Nesse momento, é fundamental a participação do cidadão e do setor produtivo, que tem um protocolo sanitário a cumprir, não é só abrir as portas, é abrir as portas respeitando as novas normas que o momento exige, porque, obviamente, se tivermos um retrocesso, faremos o caminho inverso com a mesma naturalidade. Da mesma forma que estamos construindo uma estrada para um novo normal, se houver piora, o Estado terá que tomar uma nova medida para proteger o cidadão. Então vamos seguir trabalhando para aumentar o número de leitos e continuar solicitando ao cidadão ao setor produtivo que cumpram com as medidas para que possamos vencer a pandemia juntos, integradamente”, declarou.