Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 23 Junho 2020 16:07
ORIENTAÇÃO

Nutricionista do HGE alerta sobre o perigo da obesidade em tempos de coronavírus

Estado nutricional de uma pessoa é medido pelo MC e colhido através do peso e altura

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Nutricionista do HGE recomenda diversificar na ingestão de frutas Nutricionista do HGE recomenda diversificar na ingestão de frutas Carla Cleto
Texto de Neide Brandão

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que pacientes com doenças crônicas pré-existentes, como a diabetes e a hipertensão, tendem a apresentar as versões mais graves da Covid-19. E sabendo que pessoas com obesidade, em geral, possuem alguma destas doenças, a preocupação com o peso e o controle adequado da pressão arterial e dos níveis glicêmicos deve ser ainda maior.

A nutricionista do Hospital Geral do Estado (HGE), Carolina Braga, explica que o critério utilizado para avaliar e classificar o estado nutricional de uma pessoa, de acordo com as recomendações da OMS, é o Índice de Massa Corpórea (IMC), colhido através do peso e altura. A partir dele, é possível ter uma ideia de como anda o nível de gordura. Sendo assim, a fórmula para o cálculo é: peso (em kg) dividido pela altura² (em metros).

“Correlacionamos e aplicamos em uma referência entre 18kg/m2 e 40kg/m2 e assim conseguimos ter uma avaliação prévia entre os indivíduos. Os que apresentam IMC acima 25 kg/m2 são considerados sobrepeso e acima de 30 kg/m2 com obesidade”, explica.

Ela orienta que as pessoas com os índices mais elevados, e com alguma outra comorbidade associada, devem procurar mantê-las controladas para o organismo agir de forma mais eficaz, caso o vírus entre no organismo. “Independente da patologia de base em que o indivíduo se encontra, uma boa alimentação auxiliará o desempenho do organismo e o preparará para passar por esta pandemia”, salienta a nutricionista.

Segundo ela, mesmo em período de isolamento social, o ideal é planejar a rotina alimentar, tendo sempre uma comida de qualidade nutricional disponível e evitando o consumo dos alimentos processados. “Uma ideia é seguir as recomendações do guia alimentar para a população brasileira. Não esquecendo que a hidratação é fundamental e que a ingestão de líquido deve ser frequente e regular”, recomenda a nutricionista do HGE.

Outra dica, segundo a profissional, é evitar o desperdício e as idas desnecessárias ao mercado, cuidando do armazenamento adequado dos alimentos. “Os legumes e hortaliças duram bem mais tempo se for utilizada a técnica de branqueamento. Para isso, após a higienização, mergulhe-os em água fervente por 2 a 3 minutos e logo em seguida coloque-os em um recipiente com gelo. Depois congele. Não esquecendo de fazer uma boa higienização antes de todo o procedimento”, orienta.