Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 29 Abril 2020 09:52
Prevenção

Covid-19: HGE recomenda cuidado redobrado com a pressão arterial durante a pandemia

Hipertensos devem adotar práticas saudáveis, dieta equilibrada e uso regular de medicamentos

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Nutricionista Graça Cavalcante recomenda evitar os alimentos industrializados o máximo possível Nutricionista Graça Cavalcante recomenda evitar os alimentos industrializados o máximo possível Carla Cleto
Texto de Neide Brandão e Thallysson Alves

O último domingo (26) foi Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão. A data chama atenção para cuidados que os hipertensos devem ter durante a pandemia do novo coronavírus. O uso regular de medicamentos, dieta equilibrada, prática de exercícios (em casa), utilização de máscara e adoção de hábitos de higiene recomendados  são fundamentais para o controle da pressão arterial e redução dos riscos de contaminação pela Covid-19.

O abuso no consumo de sal também é apontado como um dos fatores que contribuem com o desenvolvimento da hipertensão. O aumento da ingestão de alimentos ricos em sódio, durante o período de isolamento social, agrava ainda mais o problema. Outro fator de risco é o sedentarismo gerado pela rotina de pouco esforço físico.

De acordo com a cardiologista Ana Cely Setton, as principais patologias em que o excesso de sal vai impactar negativamente são as de cunho cardiovascular e renal. “O sódio, principal componente do sal de cozinha, apesar de ter sua importância no equilíbrio do nosso organismo, se ingerido em excesso pode causar danos à saúde. Este eletrólito é um dos elementos fundamentais para o controle do volume de líquido no nosso corpo e da regulação da pressão arterial. Seu excesso leva à retenção de líquidos, podendo sobrecarregar o coração e ocasionar aumento da pressão”, explicou.

Segundo ela, a hipertensão arterial quando não tratada pode levar a doenças renal, cardíaca e encefálica. “Os exames de rotina podem nos comprovar o aumento de sódio no organismo e, juntamente, com o quadro clínico do paciente, podemos diagnosticar os prováveis danos e os tratar, porém a prevenção é sempre o melhor começo”, recomenda Ana Cely Setton.

Em média, a pressão ideal é de 120mmHg para a sistólica é de 80mmHg para a diastólica, conforme afirmou a cardiologista. Podendo haver variáveis de acordo com a idade, condições como a gestação ou patologias associadas.

A nutricionista Graça Cavalcante recomenda evitar os alimentos industrializados o máximo possível. Não colocar o saleiro na mesa durante as refeições, optar por preparações grelhadas ou assadas, evitando pratos com muitos molhos, queijos ou mesmo fast foods. Também é relevante ingerir alimentos ricos em potássio, como banana, laranja, mamão, batata doce e feijão, pois ajudam a diminuir a tensão arterial e corta os efeitos do sal.

“A quantidade de sal indicada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) são cinco gramas, no entanto, o brasileiro come muito mais que isto. Com o consumo de produtos industrializados, ingerir cinco gramas de sal é uma tarefa razoavelmente fácil. Batatas fritas e batata palha, pão francês, bolos prontos, misturas para bolos, salgadinhos de milho, maionese e biscoitos (doces ou salgados) são exemplos de alimentos industrializados com grande quantidade de sódio”, pontuou.

A nutricionista do HGE ainda lembra que a ingestão de líquidos auxilia na eliminação do sódio em excesso pela urina e o suor. “Tomar bastante água ajuda a eliminar as toxinas e o sódio em excesso; dois litros já são suficientes. O uso de ervas na elaboração das receitas também é uma boa, pois dão um sabor especial aos alimentos. Com elas é possível evitar o sal em excesso e saborear os alimentos de uma forma especial, da mesma forma o limão. A acidez dele vai deixar o alimento com um sabor melhorado. Alecrim, páprica, açafrão, orégano, entre outras tantas variedades, podem ser utilizadas. Elas, além de potencializar o sabor dos alimentos, vão oferecer boa saúde”, destacou.