Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 01 Abril 2020 14:53
CHECAMOS

É falsa mensagem com link para saque de R$ 1.200 do Governo Federal

Auxílio aprovado pelo Congresso Nacional ainda precisa ser sancionado pelo presidente da República

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Link direciona a uma página não existente; benefício ainda não foi sancionado Link direciona a uma página não existente; benefício ainda não foi sancionado Agência Alagoas
Texto de Agência Alagoas

Uma mensagem falsa com link para cadastro de um possível saque de um auxílio emergencial, que seria pago pelo Governo Federal, circula mais uma vez pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. Desta vez, o valor destinado a ajudar famílias durante o enfrentamento da pandemia do Covid-19 seria de R$ 1.200.  

O texto diz que o agendamento para recebimento do valor deve ser feito pelo aplicativo oficial do programa, mas o link direciona a uma página não existente. Em nota, o Ministério da Cidadania diz que a notícia é falsa e esclarece sobre a medida que o Governo Federal pretende adotar. “Existe, sim, um auxílio emergencial previsto pelo governo, de R$ 600 para trabalhadores informais, microempreendedores individuais e desempregados”, diz a nota oficial. A Câmara aprovou o texto na última quinta-feira (26) e o Senado o aprovou nesta segunda-feira (30). Com isso, falta a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O texto aprovado pelo Congresso Nacional ainda prevê que mães que são chefes de família sozinhas poderão receber duas cotas do benefício, ou seja, a quantia de R$ 1.200.

Visando evitar que pessoas sejam enganadas e caiam em golpes sobre supostos saques de dinheiro, o Ministério da Cidadania solicita que as pessoas se informem sobre esta e outras questões referentes à pasta por meio dos canais oficiais, como os sites dos ministérios da Economia, da Saúde, da Cidadania ou no Portal do Governo do Brasil

O delegado da Seção Antissequestro e Crimes Cibernéticos da Polícia Civil de Alagoas, José Carlos dos Santos, destaca que as pessoas devem ficar atentas a alguns pontos ao receber links pelas redes sociais, tais como:

  • Verificar se no endereço do site há o nome da empresa/instituição informada;
  • Não clicar em links recebidos por e-mail e redes sociais. É melhor pesquisar no Google ou no próprio site da empresa/instituição;
  • Desconfiar da credibilidade quando o endereço não terminar em .com, .gov, .org, principalmente se for do governo, que deve vir obrigatoriamente com .gov;
  • Pesquisar o nome do site no buscador do Google, que provavelmente vai sugerir sites confiáveis; 
  • Pesquisar o domínio no site https://registro.br/tecnologia/ferramentas/whois/, onde é possível ver qual a identidade e CPF/CNPJ do responsável pelo site;
  • Os sites seguros que exigem cadastro e senha, obrigatoriamente, devem apresentar o “https” no início do endereço do site.

“No mais, é desconfiar de tudo, como diz aquele ditado: ‘Quando a esmola é demais, o santo desconfia’”, comenta o delegado.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890.