Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 22 Outubro 2019 11:45
EM JAPARATINGA

Reeducandos do regime fechado reforçam limpeza de praias atingidas por óleo em AL

Seris integra Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA) criado para monitorar áreas afetadas e recolher material poluente

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Custodiados do Núcleo Ressocializador da Capital reforçam limpeza das praias do litoral Norte Custodiados do Núcleo Ressocializador da Capital reforçam limpeza das praias do litoral Norte Jorge Santos
Texto de Bruno Soriano

A limpeza das praias afetadas pelo óleo que já atingiu 30 localidades do litoral alagoano ganhou um importante reforço. É que, nesta terça-feira (22), 49 custodiados do Núcleo Ressocializador da Capital (NRC) se juntaram a 46 reeducandos dos regimes aberto e semiaberto – que já atuavam na coleta do material poluente – para reforçar os trabalhos do Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA), criado pelo Governo de Alagoas. Todos seguiram viagem com destino a Japaratinga, região Norte do estado.

A liberação dos reeducandos - que cumprem pena no regime fechado - para a atividade externa foi autorizada pela 16ª Vara de Execução Penal da Capital, atendendo à solicitação do secretário da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), coronel PM Marcos Sérgio de Freitas, em virtude da necessidade de se intensificar as ações de limpeza.

Segundo o Instituto do Meio Ambiente (IMA), cerca de 430 toneladas de óleo e areia contaminada já foram retiradas das praias alagoanas desde o início dos registros das manchas de petróleo.

Custodiados do Núcleo Ressocializador da Capital reforçam limpeza das praias do litoral Norte (Jorge Santos)

De acordo com o chefe especial das unidades prisionais de Alagoas, agente penitenciário Milton Pereira, o Grupo de Escolta, Remoção e Intervenção Tática (Gerit) monitora o trabalho dos reeducandos, que serão reconduzidos ao complexo penitenciário no final da tarde. Todos passaram por um processo de seleção que levou em conta, entre outros aspectos, a aptidão do reeducando.

“Esses reeducandos já estudam e trabalham no Núcleo Ressocializador, unidade modelo do sistema prisional. Portanto, a Justiça considerou a excepcionalidade da situação, motivada por um grave problema ambiental, para autorizar a utilização da mão-de-obra carcerária”, explica Pereira.

Os demais reeducandos, por sua vez, integram o projeto “Uma Nova História”, por meio do qual a Seris promove a reinserção no mercado de trabalho. Já são 39 convênios firmados com empresas públicas e privadas, proporcionando oportunidades de emprego a 788 egressos do sistema prisional, todos com direito à remição da pena, como preconiza a lei.

 Custodiados do Núcleo Ressocializador da Capital reforçam limpeza das praias do litoral Norte (Jorge Santos)

GTA

O Grupo Técnico de Acompanhamento é formado por representantes de órgãos estaduais – Seris, IMA e Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) – e federais – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) –, contando também com o apoio da Marinha e das secretarias de Meio Ambiente dos municípios atingidos.

Em Japaratinga – município que está inserido na Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, maior unidade de conservação marinha do Brasil –, o grupo montou um posto de comando na Praça Padre Cícero, onde são debatidas e definidas as estratégias de ação imediata. Todo o material poluente está sendo levado à Central de Tratamento de Resíduos (CTR) do Pilar, onde é feita a destinação adequada.