Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Segunda, 12 Novembro 2018 16:58
PROGRAMAÇÃO MUNDIAL

Novembro Roxo: Santa Mônica realiza ações sobre prematuridade

Programação destaca a importância da discussão sobre o tema e beneficia mães de bebês internados

Maternidade é referência em AL no atendimento às gestantes e neonatos de alto risco Maternidade é referência em AL no atendimento às gestantes e neonatos de alto risco Ascom MESM
Texto de Ascom MESM

Considerado o Mês Mundial da Prematuridade, simbolizado pela cor roxa, novembro é o mês de conscientização sobre a importância da discussão da prematuridade no Brasil. A Maternidade Escola Santa Mônica (MESM), referência em Alagoas no atendimento às gestantes e neonatos de alto risco, desenvolveu uma programação especial para reforçar a importância do tema.

 

As ações tiveram início na última sexta-feira (11), com uma roda de conversa com as mães internas na Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa). A facilitadora do tema "Posicionamento e pega na amamentação" foi a técnica de enfermagem Andréa Almeida. Na tarde desta terça-feira (13), às 15h30, a roda de conversa com a enfermeira Roberta Gomes vai tratar dos "Cuidados essenciais com o bebê prematuro".

 

Nesta quarta-feira (14), às 9h, a cantora Nathalhinha Marinho fará uma apresentação nos corredores da maternidade. Às 10h, a equipe da UCINCa organizará um "Chá do Bem Comum" para as pacientes, como um momento de descontração e conversa sobre questões relacionadas à prematuridade e ao cotidiano das mães com bebês prematuros. Na sexta-feira (16), às 15h, também na UCINCa, será realizada uma oficina de artesanato, onde serão confeccionados vidros decorativos para o Natal. A oficina será ministrada pela enfermeira Magda Lucena.

 

“Cada encontro com as mães dos bebês prematuros é muito importante para o cuidado e a recuperação. Além disso, as orientações serão úteis, especialmente, após a alta hospitalar, quando os pais e a família vão precisar desse conhecimento”, explica a terapeuta ocupacional Katiúscia Vianna.

 

Maternidade é referência em AL no atendimento às gestantes e neonatos de alto risco (Ascom MESM)

 

Sobre a prematuridade

 

Uma pesquisa recente divulgada pela Universidade Federal de Pelotas, em parceria com outras 12 universidades, constatou que 11,7% dos partos realizados no Brasil são de bebês prematuros. Até o ano de 2010, o Sistema Único de Saúde apontava uma taxa de 7,2%.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, a prematuridade é a principal causa de morte no primeiro mês de vida. Cerca de 70% dos óbitos de crianças ocorrem nos primeiros 28 dias após o nascimento. Atualmente, a taxa de mortalidade de crianças abaixo de 1 ano é de 16 por mil nascidos vivos, segundo a Rede Interagencial de Informações para a Saúde (Ripsa).

 

O bebê prematuro é aquele que nasce antes das 37 semanas de gestação – são divididos em “prematuros extremos”, os que vieram ao mundo antes das 28 semanas e correm mais risco de vida do que os bebês que nascem algum tempo depois, pois apresentam estado de saúde muito frágil; prematuros “intermediários”, que nascem entre 28 e 34 semanas e constituem a maior parte dos prematuros; e os “prematuros tardios” que nascem entre 34 e 37 semanas.