Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 07 Novembro 2018 10:47
INOVAÇÃO

HGE passa a contar com Unidade de Tele-Eletrografia para tratar infarto

Inauguração aconteceu nesta terça-feira (6), na área Azul da unidade hospitalar

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Com apenas três anos de existência, o programa alagoano do infarto agudo do miocárdio tornou-se modelo para o país Com apenas três anos de existência, o programa alagoano do infarto agudo do miocárdio tornou-se modelo para o país Fotos: Neide Brandão
Texto de Neide Brandão

O Hospital Geral do Estado (HGE) passou a contar, a partir de terça-feira (6), com uma Unidade de Tele-Eletrografia, que irá agilizar o atendimento às vítimas de infarto agudo do miocárdio. O novo serviço, localizado na área Azul da unidade hospitalar, foi inaugurado graças à parceria entre o Governo do Estado e a Sociedade Beneficente do Coração de Alagoas (Cordial), braço social do Hospital do Coração.

 

Por meio do Programa America Telemedicina Infarct Network (Latin), a Unidade de Tele-Eletrografia irá possibilitar o tratamento referenciado às vítimas de infartos em Alagoas, com interação entre HGE, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com o coordenador do Programa de Infarto em Alagoas, Ricardo César Cavalcanti, o serviço irá funcionar 24 horas por dia.

 

“Contaremos com cardiologistas de plantão durante todo o dia e, desse modo, iremos contribuir para agilizare ao atendimento às vítimas de infarto. Com isso, ofereceremos uma resposta rápida para o tratamento dos pacientes”, disse Ricardo César Cavalcanti, que também é cardiologista.

 

De acordo com ele, com apenas três anos de existência, o programa alagoano do infarto agudo do miocárdio tornou-se modelo para o país, sendo também referência na América Latina. “Dados do DataSUS para o período compreendido entre 2010 e 2014 revelam que apenas seis angioplastias primárias foram realizadas em Alagoas naquele período. Nos últimos dois anos, foram realizadas 446”, salientou.

Com apenas três anos de existência, o programa alagoano do infarto agudo do miocárdio tornou-se modelo para o país (Fotos: Neide Brandão)

Com isso, Alagoas ocupa atualmente, em números relativos, o quarto lugar em angioplastias primárias. “E a mortalidade, que já chegou a 26% antes do programa, atualmente é de apenas 5,2% para os pacientes tratados”, evidenciou Ricardo César Cavalcanti.

 

Parceria

 

Na ocasião, a supervisora médica do HGE, Janaína Gouveia, agradeceu a parceria da Cordial com o Governo do Estado e ressaltou que os pacientes podem ser tratados adequadamente, graças à integração entre as UPAs, Samu e o HGE.

 

“Sem dúvida, uma parceria que está salvando vidas. Com a complexidade que o HGE tem, estamos conseguindo priorizar o atendimento cardíaco, através da proposta do Latin, ampliando assim, a classificação de risco e reduzindo o tempo de atendimento dos nossos pacientes”, asseverou.

 

Referência

 

Através do programa Latin, o HGE foi escolhido como referência na assistência às vítimas de infarto e recebeu o prêmio de Melhor Desempenho de 2017 do Programa Latin America Telemedicina Infarct Network Brasil. De 2016 a agosto de 2018, o Serviço de Hemodinâmica do HGE realizou 3.202 procedimentos, entre cateterismo, angioplastia, implante de marca-passo e estudo eletrofisiológico.

 

Histórico

 

O programa alagoano do tratamento do infarto agudo do miocárdio foi implantado em 2015, com o intuito de ampliar o acesso dos pacientes da rede pública de saúde aos exames e tratamento cardiovasculares. Nos dois primeiros anos de programa, mais de 40 mil pacientes foram atendidos, 1.500 cateterismos e cerca de 1.000 angioplastias foram realizadas, sendo 446 angioplastias primárias, ou seja, a angioplastia de urgência nas primeiras 12 horas do infarto.

 

Esses números colocaram Alagoas acima da média nacional na realização deste tipo de procedimento, que, segundo dados do DataSUS de 2017 foram: Média Nacional – 5.7, Nordeste – 4.8 e Alagoas – 7.1. Dados que concederam ao Estado, em 2017, o prêmio do Programa Latin de melhor performance em diagnóstico e tratamento do infarto no Brasil, e que resultou no convite para apresentação do programa durante encontro mundial de cardiologia, realizado na Colômbia, no mês passado.