Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 05 Julho 2018 17:23
PPSUS

Governo do Estado capta meio milhão para pesquisa sobre saúde pública

Ministério da Saúde escolheu Alagoas para destinar os recursos por considerar o Estado uma referência na gestão do Programa de Pesquisas para o SUS

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Alagoas é tido como estado modelo de referência na execução do programa Alagoas é tido como estado modelo de referência na execução do programa (Fotos: Deriky Pereira)
Texto de Naísia Xavier

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) recebeu, nesta quinta-feira (5), mais seis pesquisadores que farão parte do Programa de Pesquisa para o SUS  (PPSUS).

 

Em junho de 2016, quando foi lançado o edital PPSUS nº 6, mais de 90 propostas concorreram a um recurso de R$ 2 milhões, mas, apenas 20 foram contempladas. No entanto, um alto número de propostas foi bem avaliado, com notas superiores à nota de corte do edital. As propostas que obtiveram uma boa nota e não puderam ser contempladas devido ao esgotamento de recursos foram classificadas como ‘prioridade dois’ no resultado da chamada.

 

PPSUS/ (Fotos: Deriky Pereira)

 

Em meados de agosto de 2017, o Ministério da Saúde, em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, informou que suplementaria o convênio de Alagoas em R$ 500 mil, para que fossem contratadas algumas das propostas que haviam sido analisadas e recomendadas, porém ficaram abaixo da classificação para os recursos disponíveis.

 

De acordo com os técnicos do Ministério da Saúde, o adicional foi possível devido ao recurso que seria destinado ao Rio de Janeiro, porém, a crise financeira recente naquele estado inviabilizou a operação.

 

PPSUS/ (Fotos: Deriky Pereira)

 

Desta forma, ficou decidido o repasse para Alagoas, tido como um modelo de referência na execução do programa PPSUS, em gestão compartilhada pela Fapeal e pela Secretaria de Estado da Saúde.  A Fundação e a Sesau estão em vias de editar um termo de cooperação técnica garantindo mais R$ 200 mil como contrapartida estadual.

 

Assim, ficam garantidos R$ 700 mil para estudo de problemas como tumores em trabalhadores noturnos, esquistossomose, câncer bucal, Zika durante a gestação, inflamações intestinais e nutrição de baixo custo.

 

Fátima Lima, gestora do setor de Ciência e Tecnologia da Sesau, destaca que o diferencial da pesquisa para o SUS é que, desde o começo, os estudos são pensados para gerar uma solução em saúde pública.

 

PPSUS/ (Fotos: Deriky Pereira)

 

Um dos casos que comprovam o impacto é o da pesquisadora, professora e doutora em Odontologia Sônia Ferreira, que já participou de duas edições anteriores do PPSUS e afirma “já conseguimos aumentar muito a detecção precoce do câncer de boca”.

 

Orientação

 

Na Fundação, os pesquisadores receberam orientações dos profissionais da Coordenação de Projetos Especiais e Inovação e dos setores Financeiro e de Prestação de Contas, e foram recebidos pelo diretor-presidente da Fapeal, professor Fábio Guedes Gomes.