Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 05 Julho 2018 12:24
Em Ressocialização

Presídios em alagoanos são reestruturados com investimentos

Com aparelhamento das unidades, aquisições de armamentos e veículos trabalhos dos agentes penitenciários avançam cada vez mais

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
O trabalho de qualificação de mão de obra e inserção de reeducandos no mercado de trabalho é destaque nacional O trabalho de qualificação de mão de obra e inserção de reeducandos no mercado de trabalho é destaque nacional Ascom Seris
Texto de Mayara Wasty

O sistema prisional alagoano ganha cada vez mais reconhecimento em âmbito nível nacional pelo êxito na execução das políticas ressocializadoras. Com os recursos oriundos do Governo Federal, a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) têm impulsionado e aprimorado o trabalho desenvolvido pelos agentes penitenciários em prol da segurança pública e ressocialização.

Com planejamento e responsabilidade, a Seris aplica os recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) em três áreas: construção e ampliação, aquisição de equipamentos e serviços nos presídios. Por meio de reuniões quinzenais, os gestores da pasta acompanham o desenvolvimento dos processos referentes e a aplicação dos investimentos do Fundo.

O secretário Executivo de Gestão Interna da pasta, major Henrique do Carmo enfatiza a importância dos dezenove encontros já realizados na Seris. “Essas iniciativas promovem a geração de informações gerenciais para que os administradores públicos planejem e monitorem suas ações. Cada gestor sabe a necessidade específica de sua área”.

“Tudo que estamos adquirindo foi definido pela lei e com a consultoria dos agentes penitenciários da parte operacional que definiram o que era prioridade dentro da vivência dos presídios”, complementa o secretário.

Construção e ampliação, equipamentos e serviços

Com a verba do Funpen, Alagoas tem investido em melhorias para o sistema penitenciário, como a ampliação em 304 vagas na Penitenciária de Segurança Máxima de Maceió e a construção de uma unidade prisional masculina com capacidade para 266 vagas.

No que se refere ao aparelhamento, já foram contratados scanners corporais e bloqueadores de sinais de radiocomunicação para as unidades Cyridião Durval, Baldomero Cavalcanti e Casa de Custódia da Capital.

Somente neste ano, já foram entregues seis mil munições cal. 12, 33 mil munições calibre .40 e cinco mil do calibre .5,56, além de munições cal. 12 mono impacto, cal. 12 precision/três balins, granadas outdoor luz/ som, de efeito moral, de pimenta e espargidor de pimenta.

E o reforço na segurança – dentro e fora dos presídios – não param. Mais cinco mil munições, 50 espargidor de pimenta, 600 granadas, sendo 120 lacrimogênea, 240 de efeito mortal e 240 de pimenta já foram contratadas e serão entregues brevemente aos agentes penitenciários.

A frota de veículos também foi reforçada. Seis novos veículos já estão sendo utilizados para condução dos apenados, sendo três do modelo Renault Master Furgão e três viaturas S10, além de duas ambulâncias. Outros doze novos veículos estão em fase de aquisição, sendo dois caminhões cela, dois microônibus, quatro pick-ups, duas caminhonetas 4x4 e duas ambulâncias.

Os recursos do Funpen também estão sendo utilizados para estruturação, com aquisição de equipamentos para o aparelhamento do Centro de Telepresença.

O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, agente penitenciário Kleyton Anderson, comenta a execução eficiente dos recursos, imprescindível para gestão prisional. “Agradeço pela transparência no que tange a destinação da verba do Funpen. Fico feliz com os recursos que já recebemos, como armamentos, móveis, que eram muito precários nas unidades”.