Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 05 Junho 2018 12:39
DIÁLOGOS

ONU identifica no Vida Nova nas Grotas projeto visionário em Alagoas

Avaliação é do diretor do Escritório Regional do ONU-Habitat para a América Latina e o Caribe, Elkin Velasquez

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
 Abertura do Dia da ONU em Alagoas: Diálogos sobre Desenvolvimento Urbano, Social e Econômico Abertura do Dia da ONU em Alagoas: Diálogos sobre Desenvolvimento Urbano, Social e Econômico Márcio Ferreira
Texto de Severino Carvalho

O diretor do Escritório Regional do ONU-Habitat para a América Latina e o Caribe, Elkin Velasquez, afirmou que o Governo do Estado desenvolve, por meio do Programa Vida Nova nas Grotas, um projeto visionário e que vem dando certo. Ele é um dos participantes do Dia da ONU em Alagoas: Diálogos sobre Desenvolvimento Urbano, Social e Econômico. O evento foi aberto na manhã desta terça-feira (5) no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Jaraguá, e contou com a presença do vice-governador, Luciano Barbosa, secretários de Estado, lideranças comunitárias, arquitetos e urbanistas.

 

“A gente identificou aqui um processo visionário, um processo para que ninguém fique para trás. A ONU defende essa perspectiva de não deixar ninguém para trás e isso só acontece quando existem projetos focados onde as pessoas mais necessitam da ação pública do Estado”, afirmou Velasquez.

 

Desde a sua criação, em 2016, ainda sob a designação de “Pequenas Obras, Grandes Mudanças”, o Programa Vida Nova nas Grotas já beneficia mais de 135 mil pessoas, de um total aproximado de 250 mil que moram nas grotas de Maceió. Elas são contempladas com serviços de melhoria da infraestrutura urbana e ações intersetoriais de promoção da saúde, educação e bem-estar social. Entre as mais de 70 comunidades existentes na capital, 35 delas já estão usufruindo das mudanças proporcionadas pelo Programa, a exemplo da construção de escadarias drenantes, pontilhões, passeios e corrimãos.

 Abertura do Dia da ONU no Centro de Convenções (Fotos: Márcio Ferreira)

Velasquez disse que Maceió se assemelha, na atualidade, com a nova Medellín. Há cerca de 20 anos, a cidade colombiana padecia com a violência gerada pelo tráfico de entorpecentes e a exclusão social. Hoje, a realidade é outra. Graças ao Urbanismo Social foram implantados programas de obras públicas e iniciada a elaboração de uma série de projetos atrativos, como bibliotecas, escolas, parques e centros comunitários nas áreas mais pobres de Medellín.

 

“Medellín 20 anos atrás foi a cidade mais violenta do mundo e hoje é uma cidade com muita prosperidade. Como isso aconteceu? Com essa forma de trabalhar: trabalho integrado, focado nos mais pobres, nos mais frágeis da sociedade e trabalho territorializado”, revelou.

 

O governador Renan Filho e secretários de Estado fizeram, em dezembro do ano passado, uma visita técnica a Medellín, na Colômbia. Eles conheceram as experiências exitosas do ONU-Habitat naquele país. Na ocasião, também compartilharam os bons resultados obtidos pelo programa estadual Vida Nova nas Grotas. A troca de experiência foi intensificada nesta terça-feira com o evento realizado no Centro de Convenções de Maceió.

 

“A ONU sente nesse chamado do Governo de Alagoas a possibilidade de acompanhar um processo que estamos seguros de que já está dando certo e que vai dar ainda mais certo. Quem sabe amanhã, convidaremos o governador, as lideranças comunitárias das grotas de Maceió para compartilhar suas experiências com outras cidades da América Latina que precisam disso”, acrescentou Velasquez.

 

Presente ao evento, o vice-governador afirmou que para promover o desenvolvimento, é necessário ser distributivo, governar para todos. Essa, segundo ele, é a tônica da gestão estadual na atualidade. Luciano Barbosa disse que a partir de agora o Vida Nova nas Grotas entra numa segunda fase.

 Abertura do Dia da ONU no Centro de Convenções (Fotos: Márcio Ferreira)

“As intervenções feitas pelo Vida Nova nas Grotas vão além do projeto urbanístico, são ações que contam com a interdisciplinaridade, com intervenções nas áreas da saúde, da educação, da segurança pública. Agora nós precisamos ampliar isso e promover a economia solidária dentro das grotas”, propõe Barbosa.

 

Também presente ao evento, o secretário de Transporte e Desenvolvimento Urbano, Mosart Amaral, informou que das 35 grotas beneficiadas pelo Programa estadual em Maceió, 18 já foram inauguradas e 17 estão com os serviços em andamento. “Vamos assinar, nos próximos dias, mais dez ordens de serviço. Já foram investidos mais de R$ 40 milhões e vamos, até o final deste ano, injetar algo em torno de R$ 35 milhões. É essa a nossa expectativa”, revelou Mosart Amaral, que comanda a pasta responsável pela execução do Programa Vida Novas nas Grotas.

 

Palestra

O arquiteto e urbanista colombiano Alejandro Echeverri conduziu a palestra “Experiência de Renovação Urbana e Social de Medellín” durante o encontro no Centro de Convenções, promovido pelo Governo do Estado e o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat).

 

Em entrevista à imprensa, ele lembrou que muitas cidades latinoamericanas sofrem com os efeitos da violência e também traçou um paralelo histórico e geográfico entre os bairros de Medellín e as grotas maceioenses.

 Abertura do Dia da ONU no Centro de Convenções (Fotos: Márcio Ferreira)

“Houve uma intervenção integrada nas áreas mais pobres da cidade. Foram desenvolvidos projetos urbanos de melhoria dos espaços públicos, de moradias, como também projetos de educação e cultura. Tivemos muitos problemas, como muitas outras cidades latinoamericanas, mas hoje nossa realidade é muito diferente na consciência coletiva e na realidade do dia a dia. Eu creio que as cidades da América Latina precisam fazer um processo de intercâmbio mais intenso para avançar nesse sentido e estou muito agradecido e contente com essa experiência de Alagoas, de Maceió; de ver como podemos aprender e contribuir”, disse o arquiteto.

 

O secretário da Fazenda, George Santoro, explicou que a Sefaz tem agido como um facilitador, promovendo o intercâmbio entre as demais secretarias de Estado e as ações do ONU-Habitat em Alagoas. “Nosso papel tem sido de interlocução, de apoiar e ajudar na conversa entre todos os atores do Estado”, disse Santoro.