Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 22 Maio 2018 13:56
APRENDENDO NA PRÁTICA

Grupo de pesquisa sobre educação nas prisões da Ufal discute política ressocializadora

Acadêmicos têm a oportunidade de conhecer in loco as ações no cárcere

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
 Acadêmicos têm a oportunidade de conhecer in loco as ações no cárcere Acadêmicos têm a oportunidade de conhecer in loco as ações no cárcere Foto: Jorge Santos
Texto de Maysa Cavalcante

Mais do que ressocializar os internos, o projeto Conhecendo na Prática da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) quebra preconceitos e melhora o convívio social. Nesta semana, acadêmicos de Pedagogia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) constataram na prática a teoria disseminada em sala de aula, durante visita ao Complexo Prisional de Alagoano.

 Atuação de agentes penitenciários impulsiona boas práticas para alunos da Ufal (Foto: Jorge Santos)

Com foco nas ações de assistência educacional dirigidas aos apenados, os agentes penitenciários apresentaram subsídios para coleta de dados que auxiliarão nas atividades do grupo de pesquisa da disciplina Políticas Públicas para Educação nas Prisões. A coordenadora do grupo, professora Maria da Conceição, fala sobre a quebra de paradigmas com a ida ao Complexo.

 

"Na sala de aula, discutimos as teorias e fundamentos da disciplina, a legislação nacional e alagoana referentes ao assunto, mas a visita é o melhor meio dos universitários compararem a realidade com o que estudamos em sala de aula", disse Conceição após a visita no Núcleo Ressocializador, Presídio Feminino Santa Luzia e Centro de Monitoramento Eletrônico de Presos.

 Atuação de agentes penitenciários impulsiona boas práticas para alunos da Ufal (Foto: Jorge Santos)

O agente penitenciário Everaldo Rodrigues fala sobre a multiplicação do conhecimento para fomentar a ressocialização. "Além de divulgar os múltiplos serviços e valorizar a atuação dos agentes, as visitas contribuem para expandir as políticas públicas com foco na reintegração social, seja com críticas e sugestões que melhoram o nosso trabalho”, salienta Rodrigues.