Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 15 Maio 2018 12:06
QUEBRA DE PARADIGMAS

Universitários ampliam conhecimento com ações ressocializadoras

Projeto 'Aprendendo na Prática' aproxima comunidade acadêmica do sistema prisional e valoriza a potencializa a atuação dos agentes penitenciários; mais de 400 alunos já estiveram nas unidades prisionais de Alagoas

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Servidores da Seris falam sobre as boas práticas aplicadas nos presídios de Alagoas Servidores da Seris falam sobre as boas práticas aplicadas nos presídios de Alagoas Jorge Santos
Texto de Maysa Cavalcante

Agir com transparência, quebrar mitos e aproximar a comunidade acadêmica do cárcere para fomentar as boas práticas ressocializadoras. São esses os objetivos do projeto Aprendendo na Prática. Nesta semana, acadêmicos da Faculdade Estácio e Universidade Paulista, dos cursos de Direito e Serviço Social, respectivamente, estiveram no Complexo Penitenciário.

 

Em menos de um ano em execução, o projeto coordenado pela Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) já contemplou mais de 400 universitários de várias unidades de ensino. Nas visitas, os servidores penitenciários apresentam o dia a dia das unidades, sobretudo, com ações no âmbito da educação, segurança, trabalho e humanização das penas.

 

 Jorge Santos

 

O professor da disciplina de Direito Penal da Estácio, Bruno Arruda, afirma que a oportunidade de aliar o conhecimento teórico com a prática é enriquecedora para os alunos. "Independente da área de atuação no Direito, os operadores têm que saber para onde vão aqueles que cometem uma infração penal. Estive no Complexo e pretendo retornar outras vezes com os estudantes", disse.

 

O acadêmico da Estácio Kelsin de Araújo lembra que o conhecimento evita o preconceito. "Além de ter uma estrutura excelente, percebi que há uma preocupação com a situação humana do interno. No Núcleo Ressocializador o interno é acolhido. Os tempos de penas cruéis foram superados. Em Alagoas, o sistema propicia trabalho e estudo aos reeducandos", pondera Araújo.

 

Jorge Santos

 

"Se a maioria da população conhecesse o trabalho desenvolvido no Complexo Penitenciário, com certeza o preconceito social diminuiria. Nem tudo aquilo que escutamos fora do cárcere é realidade. Por isso a visita torna-se ainda mais importante. E eu, como estudante de Direito, pretendo ampliar meus estudos na área penal e falar sobre a realidade que vivencie na visita", conclui Araújo.

 

Para o assessor de Comunicação da Seris, Victor Costa, a presença dos alunos se deve a atuação dos agentes penitenciários. “A gestão responsável e eficiente dos agentes têm despertado cada vez mais a atenção da sociedade. Alagoas é referência em ressocialização e os acadêmicos perceberam que a produção de conteúdo pode ser ampliada com as boas práticas que surgem no cárcere”, reitera.