Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 08 Abril 2016 17:54
ECONOMIA SUSTENTÁVEL

Governo de Alagoas investe na Cadeia Produtiva do Eucalipto

Estado apresenta condições ideais para eucaliptocultura. Duratex pretende alcançar 15 mil hectares de floresta em Alagoas

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Crescimento médio anual do eucalipto em Alagoas é superior a media brasileira, por possuir clima e solo favoráveis à cultura Crescimento médio anual do eucalipto em Alagoas é superior a media brasileira, por possuir clima e solo favoráveis à cultura Thiago Sampaio
Texto de Mirella Costa

O conceito de cadeia produtiva é uma sucessão de operações integradas que começam na extração e manuseio da matéria-prima até a distribuição do produto final. É com este foco que o Governo de Alagoas visa desenvolver e diversificar a economia do Estado, com o fortalecimento e atração de novas empresas que compõem cadeias produtivas.

 

Com grande potencial para se tornar uma das principais alternativas do setor produtivo alagoano, a produção de eucalipto é uma atividade econômica pautada na conservação ambiental, com modos de produção apropriados para o trabalho de agricultura e investimento em economia sustentável.

 Thiago Sampaio

Os dados apresentados pelo Governo de Alagoas apontam a existência de 300 mil hectares com potencial para o plantio e, desses, cerca de 100 mil hectares já estão disponíveis para investimentos com eucalipto.

 

De acordo com pesquisa realizada pela Universidade de Viçosa (MG), a perspectiva do crescimento médio anual do eucalipto em Alagoas é superior a media brasileira, por possuir clima e solo favoráveis à eucaliptocultura. Resultados apontam pontos positivos na adaptabilidade e na produtividade da planta em terras alagoanas.

 

O desenvolvimento da cadeia produtiva do eucalipto de Alagoas visa atender, principalmente, os segmentos de biomassa para queima e para geração de energia, como, também, o setor moveleiro de madeira maciça e painéis. Entre os mercados alternativos estão as produções de mourões (cercas de fazendas), estroncas para construção civil, e pallets para armazenagem e transporte de produtos.

 

Dessa forma, o Governo de Alagoas deve atuar na captação de novos investidores para o segmento, fornecendo suporte para a instalação de indústrias e estimulando a consolidação da cadeia produtiva no Estado.

 

Investimento e desenvolvimento - Em viagem a São Paulo, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, reuniu-se com dirigentes do grupo Itaúsa, holding responsável pela Duratex, que confirmaram o calendário para implantação da unidade e seu funcionamento. O grupo pretende investir em Alagoas R$ 1.09 bilhão, incluindo cerca de R$ 144 milhões em plantios e manutenção para a expansão da base florestal até 2022.

 Thiago Sampaio

“A instalação da Duratex em Alagoas vai fomentar a cadeia produtiva do eucalipto. Como indústria âncora do segmento, a Duratex vai atrair empresas transformadoras. O grupo já dispõe de 4,5 mil hectares de floresta de eucalipto em Alagoas e chegará a 15 mil. Isso é resultado do trabalho desenvolvido pelo governo de Alagoas, que oferece segurança jurídica e institucional aos empresários que buscam expandir seus empreendimentos”, explicou o secretário.

 

Os empresários afirmaram que a planta industrial será iniciada no segundo semestre de 2017, o empreendimento deverá começar a funcionar em 2019, após o amadurecimento da produção do eucalipto, a matéria-prima da indústria.

 

O setor moveleiro atua nacionalmente em escala crescente. Em 2013, as empresas do segmento faturaram mais de R$ 38 milhões no Brasil. Entre 30 e 50% das vendas de móveis são destinadas a região Nordeste e 50% do custo de fabricação está nas placas de MDF/MDP que serão fabricadas pela Duratex.