Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 12 Abril 2018 18:12
TRÂNSITO LIBERADO

Obra é concluída e tráfego de veículos é liberado na Av. Buarque de Macedo

Casal finalizou obra de substituição de rede coletora de esgoto iniciada em fevereiro

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Tráfego foi liberado na Avenida Buarque de Macedo, no Centro de Maceió, nesta quinta-feira (12) Tráfego foi liberado na Avenida Buarque de Macedo, no Centro de Maceió, nesta quinta-feira (12) (Fotos: Ascom/Casal)
Texto de Diego Barros

A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) concluiu, nesta quinta-feira (12), a obra de substituição da rede coletora de esgoto na Avenida Buarque de Macedo, no Centro de Maceió. O serviço, que vinha sendo realizado desde fevereiro deste ano, substituiu 60 metros de rede. A partir de agora, o tráfego de veículos já está liberado no local, no sentido Centro-Poço.

 

De acordo com Cid Carlos, engenheiro e supervisor de Esgoto da Unidade de Negócio Jaraguá da Casal, a obra consistiu na troca da tubulação antiga em manilha de cerâmica, de 300 mm de diâmetro, por tubos de PVC com as mesmas dimensões.

 

A troca da rede evitará futuros afundamentos e recalques na via. Além disso, o PVC é um material menos suscetível a rompimentos. A nova tubulação beneficiará imóveis localizados no trecho que vai da Rua Dr. Costa Leite até a Avenida Dr. Humberto Mendes.

 

Para a realização dessa obra, a Companhia aproveitou que a via já se encontrava interditada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), que realizava outros serviços no local. Na próxima segunda-feira (16), a Seinfra, por meio da empresa Telesil, vai concluir a pavimentação asfáltica em alguns pontos da avenida.

 

Limpeza de interceptor

 

Durante a interdição do tráfego de veículos na Avenida Buarque de Macedo, a Casal efetuou também a limpeza do interceptor da rede de esgoto localizada na via. Trata-se de uma tubulação de 1.300 mm de diâmetro, para a qual convergem tubos de menor diâmetro. A partir dela, o fluxo de esgoto resultante é encaminhado ao emissário submarino.

 

Segundo Antônio Santana, gerente de Macrocoleta e Tratamento de Esgotos da Companhia, esse serviço de manutenção teve o intuito de evitar obstruções na rede coletora e consequentes transbordamentos