Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 05 Abril 2018 15:49
GOVERNO PRESENTE

Cumpridores de penas alternativas prestam ações sociais em Arapiraca

Equipe multidisciplinar da Ressocialização orienta beneficiários do Núcleo de Alternativa Penais, periodicamente; ação otimiza serviços ofertados

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
secretário da Ressocialização e Inclusão Social, coronel Marcos Sérgio de Freitas, acompanhou a abertura das atividades e destacou a importância das alternativas penais tanto para a sociedade, quanto para os beneficiários secretário da Ressocialização e Inclusão Social, coronel Marcos Sérgio de Freitas, acompanhou a abertura das atividades e destacou a importância das alternativas penais tanto para a sociedade, quanto para os beneficiários Foto: Jorge Santos
Texto de Mayara Wasty

A nona edição do Governo Presente mal começou, mas as ações da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) já estão a todo vapor. Na quinta-feira (5), primeiro dia de ação, a equipe multidisciplinar do Núcleo de Acompanhamento de Alternativas Penais realizou um encontro psicossocial com os beneficiários que residem na Região Agreste. A iniciativa foi importante para acompanhar o cumprimento da medida adversa a prisão e otimizar os serviços.

 

O secretário da Ressocialização e Inclusão Social, coronel Marcos Sérgio de Freitas, acompanhou a abertura das atividades e destacou a importância das alternativas penais tanto para a sociedade, quanto para os beneficiários. “Trata-se de uma grande iniciativa para evitar a superlotação nos presídios, fomentar boas práticas na sociedade, além de conscientizar os infratores sobre os seus direitos e deveres como cidadãos”, disse.

 

Elinaldo Barbosa é beneficiário e cumpre sua pena na Associação de Assistência São Vicente de Paulo, como auxiliar de serviços gerais. Ele fala sobre a sua satisfação em prestar o serviço. “Eu me sinto bem, pois sei que estou ajudando quem realmente precisa”, afirma Barbosa.

 

O chefe de Acompanhamento e Alternativa Penais, major Jozinaldo Anízio, destaca o comprometimento dos envolvidos. “Temos como função ajudar e acompanhar no cumprimento de penas alternativas. Agradeço pela participação da equipe. Todos estão engajados para cumprir de forma correta as suas penas”, finaliza.

 

Mudança de postura

 

Atualmente, cerca de cinco mil processos são acompanhadas pelo Núcleo de Alternativas Penais nas sete unidades distribuídas pelo Estado em Arapiraca, Penedo, Maceió, União dos Palmares, Delmiro Gouveia, Santana do Ipanema e Matriz do Camaragibe. Aproximadamente 200 órgãos e instituições sem fins lucrativos recebem serviços oriundos do Núcleo.

 

A psicóloga Erisvânia Barbosa Lima comenta que entrevistas são feitas antes de encaminhar os beneficiários para as instituições. “Fazemos uma entrevista para traçar o perfil do infrator. Só em seguida fazemos o encaminhamento para o local onde será prestado o serviço. Este fator torna o trabalho compensador, já que muitos criam vínculos e revertem um passado negativo em boa ação no presente”, revela.