Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 07 Março 2018 18:08
REFORMA AGRÁRIA

Mulheres camponesas de quatro movimentos sociais são recebidas no Iteral

Reunião integrou a programação da Jornada Nacional de Luta na Semana da Mulher

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Diretor-presidente do Iteral dialogou com, proximadamente, 80 lideranças camponesas Diretor-presidente do Iteral dialogou com, proximadamente, 80 lideranças camponesas Helciane Angélica Santos Pereira
Texto de Helciane Angélica Santos Pereira

O Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) recebeu representantes da Jornada Nacional de Luta das Mulheres Camponesas, na manhã dessa quarta-feira (7). Aproximadamente, mil camponeses e camponesas realizaram uma marcha pela Avenida Fernandes Lima até as ruas do centro de Maceió, em defesa da reforma agrária, contra as privatizações e pela democracia.

 

Cerca de 80 pessoas foram para a sede do Iteral e o restante do grupo concentrou-se na Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri), para solicitar uma reunião específica com o secretário Antônio Dias Santiago.

 

Ascom/Seagri

 

O diretor-presidente  do Iteral, Jaime Silva, e o coronel Paranhos, do Centro de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar, ouviram atentamente as trabalhadoras rurais de quatro movimentos sociais: Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), Movimento Via do Trabalho (MVT) e Comissão Pastoral da Terra (CPT).

 

“Apesar de a maioria das demandas serem relacionadas aos assentamentos da reforma agrária, que não é de competência do Iteral, nós conquistamos a confiança dos movimentos, que querem o nosso apoio para a intermediação e diálogo com o Incra, Justiça estadual e governo federal para acelerar o processo de negociação e aquisição de terras destinadas à reforma agrária”, destacou Jaime Silva. 

 

As lideranças estão preocupadas com as ameaças de reintegração de posse em propriedades rurais que possuem famílias acampadas há mais de uma década, morando e produzindo alimentos sem agrotóxicos. Também querem a ampliação da distribuição de sementes para acampamentos e assentamentos, inclusive, com a coordenação do órgão de Terras, e a garantia de dois assentos no Conselho Deliberativo do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).

 

Ascom/Seagri

 

No encerramento, as agricultoras foram agraciadas com flores em alusão ao Dia Internacional da Mulher.