Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 23 Fevereiro 2018 16:56
Aprimoramento

Policiais militares do Bope realizam treinamento de tiro policial de precisão

Equipe de atiradores de precisão do Bope foi formada por profissionais do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal e da PM do Mato Grosso

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Os atiradores de precisão do Bope estão sempre prontos executarem todas as alternativas táticas em ocorrências de crise e missões de alto risco Os atiradores de precisão do Bope estão sempre prontos executarem todas as alternativas táticas em ocorrências de crise e missões de alto risco (Fotos: Ascom/PMAL)
Texto de Wanessa Neves

Seguindo a tríade das Operações Especiais: treinar, dar treinamento e operar, integrantes da equipe de atiradores de precisão do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da Polícia Militar de Alagoas, participaram, na manhã desta sexta-feira (23), de um treinamento de tiro de precisão promovido na unidade especializada.

 

O objetivo do treinamento para o emprego do tiro de comprometimento é, além de propiciar uma ampla troca de experiências entre os profissionais, buscar fomentar o aprimoramento técnico e doutrinário desta importante especialidade policial.

 

Ascom/PMAL

 

O tenente-coronel Lima Neto, comandante do Bope, que é especialista em Gerenciamento de Crises, destaca que o Batalhão segue o ritmo do avanço da criminalidade no país.

 

“Temos que estar sempre prontos para o que vier e, para isso, conto com policiais que, além de exercerem com afinco as missões confiadas em prol da segurança pública, não deixam de treinar e de repassar os conhecimentos adquiridos, tanto para os companheiros de unidade, quanto para as demais unidades coirmãs e órgãos que solicitam instruções”, explanou o oficial.

 

Os ‘snipers’ do Bope foram formados no Curso de Atirador Policial de Precisão do COT (Comando de Operações Táticas) da Polícia Federal e no Bope da Polícia Militar do Estado do Mato Grosso (PMMT), com doutrina sólida, baseada em estudos técnico-científicos e doutrina difundida pelas FFAA dos EUA, a exemplo dos Rangers e Força Delta, unidades de operações especiais do Exército dos Estados Unidos.

 

Ascom/PMAL

 

O major César Monte, subcomandante do Bope, que também é atirador policial de precisão, explica que a vida do cidadão inocente em uma ocorrência de crise, por exemplo, depende do trabalho do ‘sniper’. “Se ele tiver que agir, deverá acertar; ele só tem essa opção”’.

 

Os atiradores de precisão do Bope estão sempre prontos para, em missões de alto risco, executarem todas as alternativas táticas em ocorrências de crise: negociação, uso de equipamentos menos letais, tiro de precisão e invasão tática, de forma a garantir a aplicação da lei, manutenção da vida, dentro de padrões legais e éticos.

 

"Torcemos sempre para que essas situações não aconteçam, porém, temos que estar sempre preparados. O ‘sniper’ não pode errar, e o treinamento repetitivo é o caminho para a perfeição", esclarece o major César Monte, acrescentando ainda que todo o protocolo de negociação é obedecido antes de acionar o atirador de precisão.