Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 21 Fevereiro 2018 18:12
NOVOS MERCADOS

Comitê Alagoano da Cultura Exportadora define plano de ações para 2018

Um dos principais objetivos é diversificar a balança comercial alagoana com diferentes produtos para exportação

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
: Plano de ações busca identificar o potencial exportador de empresas alagoanas para inserí-las no mercado internacional : Plano de ações busca identificar o potencial exportador de empresas alagoanas para inserí-las no mercado internacional (Fotos: Ascom/Sedetur)
Texto de Thiago Tarelli

As exportações em Alagoas cresceram 58,01% em 2017, no comparativo com o ano anterior, somando R$ 2,14 bilhões. Para que este indicativo siga crescendo, o comitê alagoano do Plano Nacional de Cultura Exportadora (PNCE), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Mdic), se reuniu, nesta quarta-feira (21), na sede do Sebrae, em Maceió, para definir as ações para 2018.

 

O comitê, formado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), Sebrae, Senac, Banco do Nordeste, Banco do Brasil e Correios, irá lançar o plano de ações até o mês de abril.

 

(Fotos: Ascom/Sedetur)

 

O grande objetivo do plano de ações do PNCE este ano é identificar o potencial exportador em empresas alagoanas para que estas comercializem seus produtos para fora do país. Para que isso aconteça, o comitê irá acompanhar e intermediar a internacionalização destas empresas, para que se tornem aptas a participar de feiras e rodadas de negócios internacionais com possíveis investidores.

 

À frente da Sedetur, o secretário Rafael Brito explica que, com esta iniciativa, as empresas que têm interesse passarão a exportar e irão incrementar a pauta exportadora do Estado.

 

“O Governo de Alagoas preparou o Estado para a retomada econômica nacional por meio de um trabalho forte, que desenvolve novas políticas públicas e ajustes fiscais que proporcionam avanços significativos para o setor empresarial, estimulando, também, a cultura exportadora. Este primeiro momento do PNCE, onde iremos focar em indústrias de alimentos e bebidas, é essencial para diversificação da nossa balança comercial. Com a exploração de novos mercados, estas empresas poderão gerar ainda mais emprego e renda para a população”, explica o secretário Rafael Brito.