Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 11 Outubro 2017 11:40
ASSISTÊNCIA

Ipaseal Saúde possibilita usuário a fazer cirurgia inédita em Alagoas

Procedimento em estudante é considerado de grau de alta complexidade e características da patologia

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Estudante Vinícius Cirilo de Medeiros, de 21 anos, fez cirurgia inédita em Alagoas que exigiu implantação de próteses customizadas totais e bilaterais Estudante Vinícius Cirilo de Medeiros, de 21 anos, fez cirurgia inédita em Alagoas que exigiu implantação de próteses customizadas totais e bilaterais Ascom Ipaseal
Texto de Ana Rita Moura

Se prevenir é de fato o melhor remédio, investir no ser humano é o caminho mais certo para uma boa qualidade de vida. Com este pensamento de fazer a diferença, o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Alagoas (Ipaseal Saúde) tem como prioridade cuidar da saúde de seus usuários e familiares sem medir esforços.

 


Um exemplo de sucesso e determinação foi do estudante de Ciências Sociais Vinícius Cirilo de Medeiros, de 21 anos. Ele realizou, no início de outubro, uma cirurgia inédita em Alagoas devido a sua condição extremamente rara e o grau de complexidade do problema: uma reabsorção condilar idiopática, sem causa definida. O que exigiu a implantação de próteses customizadas totais e bilaterais para a Articulação Temporomandibular (ATM).

 


Segundo o cirurgião Buco Maxilo, o dentista Luciano Lessa Filho, o caso de Vinícius é bastante incomum. Até os 15 anos, ele tinha uma composição normal da mandíbula. Após essa idade começou a reabsorver os côndilos (saliência arredondada na extremidade do osso mandibular, que forma a articulação temporomandibular) sem uma razão visível. “O paciente não apresentava infecção, nem a presença de trauma que justificasse essa reabsorção. O problema surgiu e evoluiu de forma idiopática, ou seja, sem causa aparente, de maneira desconhecida”, explicou.

 


O dentista conta que conheceu Vinícius há menos de um ano, quando ele esteve com a família em seu consultório. “Aos 20 anos, Vinícius já não tinha resquícios de côndilos. Isso provocava nele algumas reduções funcionais importantes. Ele não possuía uma mobilidade da mandíbula completa. Ou seja, ele não conseguia abrir e fechar a boca com movimentos normais, prejudicando demais a alimentação”, esclareceu Lessa Filho.

 

 

 


Devido ao problema, Vinícius tinha fortes dores de cabeça e dificuldades respiratórias para dormir. O que consequentemente trazia um decréscimo a sua qualidade de vida, além de um impacto social pela condição estética que a doença provocava. “Com a reabsorção dos côndilos, ele ficou com a face muito descaracterizada; convexa; ‘sem queixo’ e com a mandíbula muito pequena. Esteticamente este comprometimento ocasionava uma série de transtornos”, ressaltou o cirurgião.

 

Família

Para a família foram anos sem descobrir a origem dos sintomas apresentados pela patologia. “Vinícius nasceu normal; sem problemas de saúde”, afirma a mãe Cláudia Maria de Medeiros.

 


“Com o passar do tempo notamos uma dificuldade crescente para abrir, fechar a boca e mastigar os alimentos. Reclamava também de dores de cabeça constantes. As sequelas ocasionadas pela ausência dos côndilos evoluíam a cada dia. Estivemos em muitos médicos. Todos indicavam sempre próteses como solução, mas o problema não era resolvido. Foi quando o plano Ipaseal Saúde nos indicou o dentista Luciano Lessa Filho, que, imediatamente, pediu uma série de exames e uma tomografia”, relembrou Cláudia.

 


“Só tenho a agradecer ao Ipaseal Saúde. Todos os profissionais que procuramos foram acolhedores, atenciosos e fizeram o possível para uma operação bem-sucedida. A equipe de cirurgiões foi excelente, assim como o atendimento hospitalar. O apoio da nossa família também foi importante em todo o processo. No geral tudo ocorreu bem e de maneira tranquila. Estou satisfeita com os resultados”, elogiou.

 

 

 

Procedimento cirúrgico

Vinícius fez todos os exames necessários para uma cirurgia ortognática associada à artroplastia. O procedimento cirúrgico aconteceu no Hospital do Açúcar de Alagoas; durou cerca de oito horas e foi conduzido por uma equipe de quatro cirurgiões buco-maxilo-faciais, todos alagoanos. Sendo eles, Dr. Pedro Thalles Nogueira, Dr. Pedro Jorge Costa, Dr. André Coelho e Dr. Luciano Lessa Filho.

 


O paciente recebeu próteses customizadas. O material de alta qualidade foi confeccionado com titânio biocompatível e completamente adaptada para Vinicius evitando riscos de rejeição.

 


“Colocamos próteses bilateral de côndilos total. A fossa articular e o componente condilar da mandíbula foram substituídos por estas próteses. Não tenho conhecimento de uma cirurgia igual a de Vinícius realizada em Maceió e por profissionais alagoanos. O caso dele foi bastante peculiar, já que  o corpo reabsorveu os côndilos por um motivo ainda desconhecido. Mas, já estamos investigando, inclusive com ajuda de geneticistas”, informou Lessa Filho.

 


Em casa, Vinícius se recupera bem da cirurgia. O tratamento segue com a reabilitação pós-operatório e sessões de fisioterapia. Será preciso reaprender a movimentar a mandíbula, e desta vez com a presença das próteses. Sessões com um fonoaudiólogo ajudará Vinícius a ter uma boa dicção e deglutir adequadamente os alimentos.