Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 23 Março 2016 18:07
HUMANIZAÇÃO

Agentes são capacitados para melhorar ambiente socioeducativo

Seprev está implantando uma nova formatação nas relações entre profissionais e socioeducandos

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Seprev visa humanizar as relações entre os agentes e os menores que cumprem medidas socioeducativas em Alagoas Seprev visa humanizar as relações entre os agentes e os menores que cumprem medidas socioeducativas em Alagoas Daniel Dabasi
Texto de Daniel Dabasi

Agentes da Superintendência de Medidas Socioeducativas (Sumese) participaram, na tarde desta quarta-feira (23), da capacitação Ser Agente, um programa da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) que está implantando uma nova metodologia baseada na humanização das relações entre os profissionais do ambiente socioeducativo e os menores que cumprem medidas socioeducativas em Alagoas.

 

A ação faz parte do Plano 2016 do Governo do Estado, por meio da Seprev, que pretende adotar uma perspectiva integrada acerca do tratamento psicopedagógico dos menores.

 

De acordo com a superintendente da Sumese, Denise Paranhos, o intuito é trabalhar essa nova formatação relacional por meio do conceito do perdão e da responsabilidade.

 

“Estamos convocando os agentes para repensar sobre o ambiente socioeducativo em Alagoas. Eles trabalham diretamente com os menores e precisam deste momento para refletir sobre sua importância dentro do sistema. Precisamos quebrar barreiras, trabalhar de forma integrada e tirar a ideia de que o agente socioeducativo é inimigo do menor”, explica ela.

 

Para o agente socioeducativo, Último de Ferreira Campos, esta é uma oportunidade de rever conceitos e melhorar o trabalho dentro das unidades de internação.

 

 “Como agente e pai de família, trato sempre com muito respeito e educação os menores que passam pelas unidades. Temos um desafio muito grande, pois muitos adolescentes chegam ariscos e desrespeitosos, mas, aos poucos, vamos transformando esse quadro. Antigamente, o sistema era arcaico e brutal. Hoje, aprimoramos as relações e nosso conhecimento”, enfatizou o agente.

 

Participaram da palestra, representantes da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL), Defensoria Pública do Estado,  Conselho Estadual da Criança e do Adolescente, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)  e Universidade Federal de Alagoas (Ufal).