Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quarta, 13 Setembro 2017 11:25
CONCILIADORES

Líderes comunitários se tornam mediadores de conflitos para prevenir violência

Formação foi ofertada pelo Tribunal de Justiça de Alagoas em parceria com a Seprev

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Com carga horária de 20 horas, a formação foi capaz de fortalecer uma rede de pessoas que irão atuar na ponta da política de prevenção Com carga horária de 20 horas, a formação foi capaz de fortalecer uma rede de pessoas que irão atuar na ponta da política de prevenção Ascom
Texto de Victor Brasil

A prevenção da violência em Maceió ganhou novos reforços na terça-feira (12) com a formação de 38 mediadores e conciliadores de conflitos ofertada pelo Tribunal de Justiça de Alagoas, em parceria com a Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev).

 


A fim de diminuir índices de violência e processos judiciais no Estado, o curso de mediação comunitária teve por objetivo reduzir o número de casos de violência gerados a partir de pequenos conflitos interpessoais. A formação foi ofertada entre os meses de julho e setembro deste ano, na Casa de Direitos de Maceió.

 


Segundo a titular da Seprev, Esvalda Bittencourt, a formação de novos mediadores é importante para disseminar a cultura de paz e não violência em Maceió, sobretudo nos territórios de maior vulnerabilidade social. “Prevenção à violência não se faz sozinho. Precisamos unir forças e dar o nosso melhor para garantir um maior cuidado com quem mais precisa”, enfatizou a secretária.

 


Com carga horária de 20 horas, a formação foi capaz de fortalecer uma rede de pessoas que irão atuar na ponta da política de prevenção. “Este curso é motivo de satisfação e orgulho para o Tribunal de Justiça, pois acreditamos nesta política. Queremos multiplicar ainda mais este trabalho”, disse o desembargador do TJ/AL Tutmés Airan.

 


Para o coordenador do Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania (CNJUS), juiz Geneir Marques, a cultura de paz é o caminho para a garantia de um Estado sem violência. “A missão agora é evitar que pequenos litígios se transformem em processos judiciais”, disse.

 


A formação foi ministrada pela professora Moacyra Rocha, também do Tribunal de Justiça de Alagoas.