Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Terça, 16 Maio 2017 12:03
PREVENÇÃO

Corpo de Bombeiros e órgãos traçam estratégias para quadra chuvosa em AL

Definição e divisão de funções fazem parte do planejamento

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Reunião entre Corpo de Bombeiros e vários órgãos para planejamento para discutir a quadra chuvosa 2017 em Alagoas Reunião entre Corpo de Bombeiros e vários órgãos para planejamento para discutir a quadra chuvosa 2017 em Alagoas Ascom
Texto de Stephany Domingos

O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas e diversos órgãos se reuniram na última semana e discutiram planejamento com o intuito de traçar estratégias para ordenar e ampliar ações relacionadas com a operação do período chuvoso de 2017 em Alagoas.

 

Na ocasião, os representantes dos órgãos discutiram um plano de ação caso houvesse excesso pluviométrico como ocorrido nas enchentes de 2010. Segundo o tenente coronel Eduardo Justo, comandante operacional da região metropolitana, é muito importante enxergar a quadra chuvosa e seus possíveis danos com muita atenção e cautela. Estar preparado para atuar em todas as etapas deve ser sempre uma realidade em Alagoas.

 

“Quando aconteceram as enchentes de 2010 fomos pegos de surpresa e tivemos que lidar com um grande evento natural de maneira imediata, atuando em diversas etapas do processo, inclusive aquelas que não fazem parte da nossa competência. Cada órgão deve ter sua função e deve trabalhar suas ações de maneira organizada e coordenada”, ressaltou o comandante, enfatizando que o papel principal do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas é atuar na fase de resposta.

 

Com isso, ficou definido que o Corpo de Bombeiros faz parte do grupo operacional do plano de ação, sendo de sua competência o socorro, a proteção à vida e de bens, as ações de busca e resgate, a promoção de evacuação, entre outras.

 

Na reunião foram estudadas ainda hipóteses e cada órgão estabeleceu seu plano de ação dentro das suas possibilidades de atuação.

 

Para finalizar, o tenente coronel Justo enfatizou a evolução do Corpo de Bombeiros na busca de operacionalização para atuar nestas situações em caso de necessidade. “Sete anos se passaram e neste período buscamos adquirir equipamentos específicos e realizar cursos de especialização com nossos militares, como foi o curso de resgate em áreas inundadas. E hoje nos sentimos melhor preparados e estaremos sempre buscando discutir situações e nos aperfeiçoar”, concluiu.

 

Além do Corpo de Bombeiros, participaram do planejamento a Coordenadoria Estadual e as Regionais de Defesa Civil, Polícia Militar, Forças Armadas, Secretarias de Estado da Fazenda, da Saúde, da Segurança Pública, Amgesp, Central Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres, entre outros.