AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Sexta, 12 Maio 2017 10:18
PREÇOS

Índice de Preços ao Consumidor registra variação de 0,16%

Taxa referente ao mês de abril foi divulgada pela Secretaria do Planejamento

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Seplag divulgou Índice de Preços ao Consumidor relativo ao mês de abril deste ano Seplag divulgou Índice de Preços ao Consumidor relativo ao mês de abril deste ano Ascom
Texto de Igor Gouveia

A Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (Sinc), vinculada à Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio de Alagoas (Seplag), publicou o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) relativo ao mês de abril deste ano. Segundo a pesquisa, a variação registrada foi de 0,16%. 

 

O levantamento apontou que, durante o período pesquisado, o grupo que apresentou a maior variação foi o grupo de Saúde e Cuidados Pessoais, com taxa de 0,61%, impulsionada, principalmente, pelo aumento nos valores dos produtos farmacêuticos.

 

“Nesse mês, também notamos que grupos como os de Alimentação e Bebidas, e de Educação tiveram variações significantes. Eles ficaram com índices de 0,32% e 0,57%, respectivamente. Outros, no entanto, ficaram com taxas negativas como os de Habitação (-0,32%) e Comunicação (-0,16%)”, explica o gerente de pesquisas da Seplag, Gilvan Sinésio.

 

Relativo aos produtos e serviços que apresentaram variações significativas no mês, pode-se citar itens como batata-inglesa, corvina e mandioca, registraram elevações de 6,60%, 6,36% e 5,43%, respectivamente.  

 

Com relação à cesta básica, o levantamento mostra que, em abril, o produto apresentou a variação de 0,72%. O produto comprometeu um percentual de 34,30% do salário mínimo atual, apresentando aumento de 0,24 pontos percentuais em relação ao mês de março. 

 

A alta, conforme o IPC, foi impulsionada pelo aumento dos preços da banana (2,22%), tomate (4,35%), pão francês (1,88%) e café (1,65%). Dentre os itens que compõem a cesta básica, a carne mostrou-se como o produto que mais pesou no orçamento, com preço médio de 18,85 por quilo.

 

“De modo geral, a melhor opção é sempre procurar as promoções. A economia acaba sendo gerada quando os consumidores procuram locais mais baratos para realizar as compras do mês. Por isso, a nossa dica é para que o maceioense procure mais de um mercado na hora da feira. Isso ajuda bastante”, completa Sinésio. 

 

Para verificar a pesquisa completa, acesse o site Alagoas em Dados e Informações clicando aqui.