Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas
Quinta, 03 Março 2016 14:42
PERIGOS DA AUTOMEDICAÇÃO

Farmacêutica alerta sobre o perigo do uso indiscriminado dos antibióticos

Automedicação pode provocar resistência das bactérias e reações adversas como náuseas, diarreias e vômitos

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Os antibióticos só devem ser utilizados sob orientação médica e a prescrição deve ser seguida à risca Os antibióticos só devem ser utilizados sob orientação médica e a prescrição deve ser seguida à risca Olival Santos
Texto de Danielle Cândido

Quantas vezes você já tomou antibiótico só porque estava resfriado? O que muitos adeptos da automedicação não sabem é que os antibióticos são drogas eficazes no tratamento das infecções por bactérias, mas sem nenhuma utilidade nas doenças causadas por vírus. 

O alerta é da assessora técnica da Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), a farmacêutica Renata Castro.

 A recomendação para o paciente é que não se automedique. “Os antibióticos só devem ser utilizados sob orientação médica e a prescrição deve ser seguida rigorosamente”, esclareceu a farmacêutica. 

Esses cuidados são necessários, porque o uso desnecessário do medicamento pode desenvolver bactérias resistentes. 

“O uso repetido e indiscriminado dos antibióticos está fazendo com que muitas bactérias se tornem resistentes ao tratamento, ou seja, não respondam mais a antibióticos que eram utilizados antes”, informou Renata Castro. 

Para evitar essa situação, algumas providências foram implantadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Conforme explicou a farmacêutica, uma das medidas para evitar que as bactérias continuem desenvolvendo resistência aos antibióticos conhecidos, fazendo com que até infecções bacterianas banais e pequenos ferimentos deixem de responder ao tratamento, é que eles só podem ser vendidos mediante apresentação de receita médica especial. Essa receita é ainda prescrita em duas vias, sendo que uma delas fica retida na farmácia. 

Nesse contexto, complementa Renata Castro, dois pontos devem ser analisados: evitar tomar medicamentos a mais ou interromper o tratamento devido à redução dos sintomas. 

Para isso, é preciso seguir corretamente a prescrição médica, inclusive respeitando os horários da medicação. Caso haja reação adversa, não se deve suspender a medicação sem conversar antes com o médico. 

Reação adversa - “Qualquer medicamento, se utilizado de maneira inadequada, pode trazer efeitos adversos ao organismo”, lembrou a farmacêutica. No caso dos antibióticos, os efeitos nocivos podem ser ainda maiores, tendo em vista que esses medicamentos, ao atuarem nas bactérias que causam infecções, atingem também aquelas que habitam normalmente nosso organismo e funcionam como fatores de proteção. 

O uso abusivo de antibióticos destrói a flora bacteriana benéfica que habita o nosso organismo e abre espaço para o desenvolvimento de bactérias patogênicas que causam doença e que são mais resistentes aos antibióticos. Daí surgem sintomas como alergias, intoxicações, intolerância gástrica caracterizada por náuseas e vômitos e diarreia.