Notícias

AGÊNCIA ALAGOAS

Governo do Estado de Alagoas

O governador Renan Filho visitou, na manhã desta sexta-feira (21), as obras de construção do Hospital Metropolitano e do Viaduto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na parte alta de Maceió. De acordo com ele, a previsão é de que os equipamentos estejam prontos até o meio do ano.

Acompanhado pelos secretários de Saúde, Alexandre Ayres; e do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito; além do médico cardiologista José Wanderley, Renan Filho iniciou as inspeções pelo Hospital Metropolitano, cujas obras estão com 90% dos serviços executados.

“Eu espero, agora em junho desse ano, entregar a obra 100% pronta. Em breve, vou anunciar o dia exato da inauguração. Esse é o maior investimento que Alagoas já fez em um equipamento de saúde”, disse Renan Filho.

O Metropolitano está sendo erguido com recursos próprios do Governo do Estado, da ordem de R$ 74 milhões. Serão 180 leitos e capacidade para realizar 10.300 atendimentos mensais, beneficiando usuários da capital e do interior.

Thiago Sampaio

José Wanderley disse que gostou do que viu. “Essa é uma obra extraordinária. São quatro salas de cirurgia, 30 leitos de UTI num padrão de excelência extraordinário e, complementando a obra, o governador já anunciou que vai fazer aqui um outro equipamento, quase que na mesma dimensão, contemplando um instituto de cardiologia e o hemocentro”, revelou o médico.

“O impacto disso é muito grande, do ponto de vista positivo, porque nós temos uma saúde que enfrenta dificuldades para internar as pessoas e aqui teremos um novo equipamento que vai entrar nessa área de alta complexidade, ajudar a fazer essa regulação e cumprir o papel importante em defesa da vida dos alagoanos”, acrescentou Wanderley.

Viaduto

Thiago Sampaio

Após a visita ao Hospital Metropolitano, Renan Filho inspecionou a construção do Viaduto da PRF e de passagens inferiores, no entroncamento da BR-104 com a BR-316.  Com mais de 60% dos serviços concluídos, a obra é executada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Transporte e Desenvolvimento Urbano (Setrand). Os recursos são federais, da ordem de R$ 77,5 milhões.

“A obra está voando, andando a passos largos. O Viaduto da PRF é a maior obra de mobilidade urbana da história da nossa capital. Eu espero que tudo ocorra bem para a gente entregar esse equipamento até o meio do ano, em junho ou julho. Ele vai embelezar a chegada a nossa cidade, melhorar o tráfego e ajudar a vidas das pessoas que passam todos os dias por aqui”, afirmou Renan Filho.

Ao final das visitas, o governador seguiu a Murici, onde inspeciona as obras de melhoria do Hospital Municipal Dagoberto Omena, a ampliação do Polo Industrial e o traçado da estrada que vai ligar Murici a Capela, integrando os vales do Mundaú e do Paraíba. A assinatura da ordem de serviço para o início dessa obra acontece em solenidade marcada para a próxima quinta-feira (27), às 10 horas, em Murici.



E a pergunta que não quer calar é se vai chover ou não neste Carnaval em Alagoas. Para responder a indagação de turistas e de foliões que irão curtir o feriadão no Estado, a Sala de Alerta da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) divulgou, nesta sexta-feira (21), a previsão do tempo para os dias de folia.

A chuva deve continuar nesta sexta (21) de Carnaval, mas em menor intensidade durante o dia, se comparar com as caídas na última quinta (20). A temperatura mínima na capital atinge os 26ºC e a máxima 32ºC.

No sábado (22), os foliões podem ficar despreocupados. Quem deseja viajar ou curtir os blocos no estado, encara uma média de temperatura máxima em torno de 31ºC. O clima, com sol entre nuvens, se mantém e a temperatura mínima pode chegar aos 23°C no Sertão alagoano.

Para o Domingo (23) de Carnaval, a previsão é de nebulosidade e chuva fraca pela manhã apenas no Sertão de Alagoas, onde a temperatura mínima segue nos 23°C, e a máxima atinge os 35°C. Em Maceió, 26°C e 31°C, respectivamente.

No entanto, apesar de a previsão do tempo ser de tempo predominante seco, o meteorologista da Sala de Alerta, Vínicius Pinho, faz uma ressalva. “Como essa é uma previsão para um longo período, há a possibilidade de variação de temperaturas por conta do verão. Mas a tendência é que o tempo siga firme”, explicou.

Tendência para a segunda-feira (24) e terça-feira (25)

Alagoas deve registrar altas temperaturas no início da semana e últimos dias do feriado. O tempo deve se manter seco, e os foliões vão poder curtir, além dos blocos, aquela praia. Os termômetros variam entre 24°C e 32°C no Litoral. No Sertão, a máxima chega aos 37°C.

No agreste alagoano, sol entre poucas nuvens, com temperatura mínima de 26°C e máxima de 34°C. Na Zona da Mata, variação entre 24°C e 31°C.

A previsão do tempo pode ser conferida diariamente em http://www.semarh.al.gov.br/tempo-e-clima/previsao, bem como no aplicativo “Semarh Tempo Alagoas”, disponível para a plataforma android.

A Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz-AL) iniciou, neste mês de fevereiro, o calendário de parcelamento para pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2020. Nesta primeira etapa, os proprietários de veículos automotores e motociclistas com placas de finais 1 e 2 podem quitar o débito, sem desconto, até o dia 28 de fevereiro.

O documento é enviado pelos Correios, como também pode ser emitido no site da Fazenda (sefaz.al.gov.br), no “Espaço do Contribuinte”, escolhendo a opção “IPVA” e depois “Emissão de Boletos”, informando o Renavam e a placa. Já para quem decidir pela emissão presencial, basta comparecer a alguma das Centrais Já! espalhadas pelo Estado.

Conforme o calendário, a regularização do imposto pode ser feita em até seis parcelas mensais e consecutivas. O valor mínimo para essa opção é de R$ 100. Vale ressaltar que cada final de placa possui uma data-limite para pagamento da cota única ou da primeira parcela.

O superintendente especial da Receita Estadual, Francisco Suruagy, alerta sobre como identificar fraudes no boleto de pagamento do IPVA. “As cobranças são enviadas via Correios pela equipe fazendária. O proprietário poderá identificar e checar as informações completas do veículo, seus próprios dados, além da identificação visual da Secretaria da Fazenda e do código de barras. Ou seja, um documento detalhado que passa segurança ao contribuinte. Não há envio de boleto por e-mail”, explica Superintendente.

A tabela discriminativa de valor médio de mercado para veículos terrestres usados – base de cálculo - e prazos de pagamentos de IPVA para o exercício de 2020 podem ser vistos na publicação do dia 20 de dezembro de 2019 no Diário Oficial do Estado (DOE).

 O IPVA

 De competência dos Estados e do Distrito Federal, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores foi instituído em substituição à antiga Taxa Rodoviária Única - TRU, cobrada anualmente pela União no licenciamento dos veículos. Em 1985, ainda no âmbito da Constituição de 1967 (com as alterações impostas pela Emenda 1/69), o IPVA ingressou em nosso ordenamento jurídico através da Emenda 27/85, acrescentando o item III ao art. 23 da Carta Política então vigente.

É comum que cheguem ao Hospital Geral do Estado (HGE) pessoas que não conhecem a sua própria saúde. Apegado ao fato de pouco ter precisado ir ao médico durante toda a vida, o operador de máquinas Fernando Nascimento, de 57 anos, é um dos muitos que não se atentou à necessidade de adotar hábitos saudáveis, o que resultou em um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que podia ter lhe custado à vida. Mas, graças à Unidade de AVC do HGE, sua saúde foi restabelecida.

“Eu comia de tudo! Atividade física só a bicicleta quando ia trabalhar. Não achava que precisava ir ao médico se não sentia nada. A última vez que fui ao hospital foi quando sofri um acidente de trabalho, que me obrigou a cuidar do punho esquerdo, até porque precisava dele para trabalhar. Eu sabia, antes do AVC, que sou hipertenso, porque uma vez minha pressão subiu muito após comer, e quando mediram viram que estava alta demais. Fui ao posto de saúde e a partir daí passei a tomar o remédio”, lembra Fernando Nascimento.

Mas o que ele não sabia, até ser atendido no HGE, é que também possui diabetes. “Com a notícia de que tenho diabetes não posso mais fugir da dieta, do acompanhamento médico. Vou dar mais atenção à minha saúde. Estou terminando a fisioterapia, praticamente já recuperei a força no meu lado esquerdo do corpo. Essa graça eu devo primeiramente a Deus e depois a toda a equipe do HGE. Não quero deixar de valorizar essa segunda chance de vida que eu ganhei”, ressalta.

Fernando também é um exemplo dos vários usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que chegam ao HGE, unidade de urgência e emergência referência em Alagoas, e encontra o restabelecimento da saúde. Hoje ele está em casa, voltando à rotina com sua companheira e três filhos, mas essa realidade poderia ter sido diferente se ele não encontrasse a equipe assistencial qualificada para atendê-lo, desde a porta de entrada até chegar à Unidade de AVC.

”O HGE possui todos os equipamentos necessários para tratar pessoas como Fernando, que está incluso nas linhas de cuidados do hospital e procurou ajuda médica tão logo os sintomas apareceram. Essa agilidade nos facilita muito no trabalho de reversão da doença, pois a cada minuto que passa, no caso do AVC, uma parte do cérebro deixa de ser irrigada; e sem irrigação, as células podem morrer. Se não for feito o tratamento adequado, isso resulta nas temíveis sequelas irreversíveis, além de aumentar o risco de morte”, destacou a coordenadora da Unidade de AVC, Simone Silveira.

Entretanto, a médica alerta que a prevenção é sempre o melhor, pois diminui a chance do desenvolvimento de doenças que pedem a internação, o afastamento do trabalho, da vida familiar, do convívio com os amigos. Portadores de doenças crônicas e fatores hereditários precisam de ainda mais atenção e eliminação de maus hábitos de saúde.

“É sempre ruim o fumo, o consumo frequente de álcool, o uso de drogas ilícitas, o sedentarismo, o abuso de alimentos industrializados, gordurosos, ricos em sal, gordura e açúcar; eles não trazem nenhum benefício para o organismo e sobrecarregam o organismo, levando ao aumento de peso e o surgimento de doenças, como o AVC”, alerta a médica.

 HGE conta com Unidade de AVC que é referência para todo o Brasil (Carla Cleto)

Alta letalidade – A Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares expõe que o derrame cerebral, como também é conhecido o AVC popularmente, é a doença que mais mata os brasileiros, sendo a principal causa de incapacidade no mundo. Aproximadamente 70% das pessoas que desenvolvem a enfermidade não retornam ao trabalho e 50% ficam dependentes de outras pessoas. A expectativa da Organização Mundial de AVC (Word Stroke Organization) é de que uma a cada seis pessoas no mundo desenvolverá a enfermidade ao longo de sua vida.

Os sintomas da doença surgem inesperadamente. Agora ex-paciente da Unidade de AVC, Fernando conta que tinha acabado de sair do banho quando de repente sentiu o lado direito do corpo adormecer, em pouco tempo também sentiu o mesmo no seu lado esquerdo e dificuldade de se sustentar em pé. “A vista começou a girar, sensação horrível. Sentei e pedi ajuda a minha companheira. Ela correu e pediu o apoio de outras pessoas. Eu só sei que me colocaram em um carro e me levaram para o HGE. Quando cheguei fui logo atendido, não demoraram. Fiz todos os exames para confirmar o AVC e, em seguida, recebi o tratamento”, recorda Fernando.

A coordenadora da Unidade de AVC, Simone Silveira, explica que Fernando chegou com um AVC do tipo isquêmico, quando há obstrução ou entupimento do vaso sanguíneo. Ele apresentou perfil adequado para ser submetido com segurança a uma trombólise, procedimento que visa dissolver o coágulo através de medicamentos.

“Mas para isso é importante a procura ágil pelo serviço de emergência mais próximo. Se perceber fraqueza ou formigamento, especialmente em um lado do corpo, confusão mental, alteração da fala ou compreensão, vista embaçada, desequilíbrio e dor de cabeça súbita e intensa, acione logo o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] ou venha em carro particular para o HGE. Quanto mais rápido o diagnóstico, mais célere o tratamento, evitando mortes e sequelas graves”, pontua a médica.

Durante o período em que esteve no maior hospital público do Estado, Nascimento foi avaliado por várias especialidades médicas, que contaram com informações alcançadas através de ecocardiograma, eletrocardiograma, tomografia computadorizada, exames laboratoriais e outros equipamentos tecnológicos necessários para a conclusão do diagnóstico. Todos esses aparelhos também estão disponíveis para o atendimento a qualquer instante, mediante solicitação do médico no HGE.

 HGE conta com Unidade de AVC que é referência para todo o Brasil (Carla Cleto)

“Estamos em fase de reestruturação de todo o hospital, no objetivo de garantir com mais segurança a continuidade dos serviços que a população já reconhece pela qualidade. Nosso intuito é oferecer aos usuários profissionais capacitados, exames confiáveis, tratamentos adequados, cuidados resolutivos e eficazes, acessíveis a qualquer instante, pois sabemos que o doente não pode esperar além do tempo estimado pela classificação de risco, conforme os protocolos de atendimento”, afirma o gerente do HGE, médico Paulo Teixeira.

 

O Hospital Geral do Estado (HGE) registrou 355 entradas nessa última quinta-feira (20). O número pode ser visto como inferior quando comparado a outras datas, mas cerca de 70% desses atendimentos ainda estão relacionados às doenças assistidas pelo clínico geral, principalmente as que deveriam ser cuidadas pelo serviço municipal.

Dos 355, 261 envolvem principalmente diabetes, hipertensão, hipotensão, dores de cabeça, anemia; entre outras patologias que podem ser vigiadas pela atenção primária, no intuito de prevenir o agravamento e desenvolvimento de enfermidades mais graves. Também é válido recordar que os 22 atendimentos de acidente de trânsito poderiam ter sido evitados, caso os condutores e pedestres adotassem mais medidas de prevenção e cautela nas vias.

Outros atendimentos registrados no hospital envolvem: acidentes casuais (60), acidentes de trabalho (6), agressões (3) e tentativa de suicídio (3). Também foram realizadas 21 cirurgias, 35 transferências, 74 internações e 239 pacientes receberam alta médica.

É importante reforçar que o HGE é o maior hospital de urgência e emergência do Estado e também estará em regime de plantão durante o carnaval, principalmente para o atendimento aos usuários com doenças mais graves que necessitam do cuidado especializado e exames de alta complexidade.

“Somos referência em Acidente Vascular Cerebral [AVC], hemorragias digestivas altas, diabetes descompensada, Infarto Agudo do Miocárdio, Insuficiência Cardíaca Congênita, perfuração por arma de fogo e por arma branca, traumas, queimaduras e outras doenças que necessitem de cuidados de urgência e emergência”, detalhou o gerente do HGE, Paulo Teixeira.

Conforme a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), quem necessitar de assistência médica pode procurar as unidades que fazem parte da Rede Estadual de Saúde. Estarão com as portas abertas para população os três Ambulatórios 24h de Maceió, que funcionam no Benedito Bentes, Levada e Chã da Jaqueira, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Jacintinho e Tabuleiro do Martins e o Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió; de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; e o Hospital da Mulher, em Maceió.

“Há alguns problemas de saúde que podem ser solucionados na assistência pré-hospitalar, ou seja, nos Ambulatórios 24h e nas UPAs, não necessitando recorrer ao HGE. Quando as pessoas não seguem o fluxo correto, acabam superlotando a unidade e dificultando o atendimento, que passa a ser demorado, sem necessidade”, alertou a assessora de Média e Alta Complexidade da Sesau, Rosana Veras.